Começa Campanha de vacinação contra o Sarampo: Meta é imunizar 3 milhões de pessoas

A campanha de vacinação contra o Sarampo começou nesta segunda-feira, 10/02, e segue até o dia 13 de março em todo o país.

Nesta primeira campanha do ano, o foco são as crianças e os jovens, entre 05 e 19 anos. Para atendê-los, segundo o Ministério da Saúde, cerca de 3,9 milhões de doses da vacina tríplice viral foram enviadas para todo o país. Desse total, 168 mil foram encaminhadas para o Distrito Federal.

O dia nacional de mobilização, o Dia D, está previsto para este sábado, dia 15 de fevereiro; proporcionando uma oportunidade, para aqueles que trabalham durante a semana toda, levar o filho ou se deslocar aos pontos de vacinação.

Para abranger outras pessoas, o Ministério da Saúde vai promover outras duas campanhas. A primeira está prevista para acontecer em junho, para atender o público de 20 a 29 anos. Já a outra campanha deve ocorrer no mês de agosto, visando alcançar aqueles com idade entre 30 e 59 anos.

O objetivo do Ministério da Saúde é garantir a cobertura vacinal e, assim, interromper a transmissão e eliminar a circulação do vírus do sarampo.

Em 2019, a pasta trabalhava com a meta de imunizar 95% do público alvo, mas apenas 87,6% foram protegidos. Só no Distrito Federal foram registrados oito casos confirmados de Sarampo.

Vale salientar que, em 2016, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) o certificado de extinção da circulação do vírus do sarampo. No entanto, desde 2018 o país enfrenta surtos da doença. Os estados de Amazonas e Roraima foram severamente atingidos pela doença em 2018.  Já em 2019, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Maranhão, Espírito Santo, Rio Grande do Norte, Bahia, Sergipe, Piauí, Goiás e Distrito Federal integraram a lista dos Estados com registros da enfermidade.

Por essa razão, em março de 2019, o Brasil perdeu o certificado que o classificava como livre do sarampo.

Durante a coletiva de lançamento da campanha de vacinação, o ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, alertou para as implicações geradas pela falta da imunização e convocou os jovens e adultos a assumirem o compromisso de vacinarem os filhos agora e, nas próximas campanhas, vacinarem-se. Para concluir, o ministro assegurou que os gestores estão trabalhando para tirar o vírus do sarampo de circulação.

“É importante que as pessoas entendam as consequências de não se vacinar contra o sarampo, que é um vírus de alta transmissibilidade, podendo uma pessoa com a doença contaminar mais 18 indivíduos, e letalidade, principalmente em crianças. Por isso, os responsáveis devem ficar atentos e levar suas crianças para vacinar. Também, nesse momento, os gestores estaduais e municipais de saúde devem unir forças para deixar o Brasil novamente livre da circulação do sarampo”, garantiu Mandetta.

Endossando as palavras do Ministro, a representante da OPAS e da Organização Mundial da Saúde (OMS) no Brasil, Socorro Gross, também presente na coletiva, destacou que a vacina não apresenta risco e que todos devem trabalhar, seja o governo, a população ou profissionais da saúde, para o sucesso desta empreitada de imunização.

“A responsabilidade da vacinação deve ser compartilhada entre o governo, os profissionais de saúde e toda a população. Todos devem trabalhar para que o Brasil se livre do sarampo, e a única maneira de nos proteger é manter as vacinas em dia. As vacinas são seguras e a população tem que acompanhar e apoiar esse movimento”, disse Gross.

As unidades de saúde funcionam das 8h às 12h e das 13h às 17h. Quanto aos locais de imunização no “Dia D”, a Secretaria da Saúde ainda não divulgou, mas deve fazer isso nos próximos dias, por meio do site institucional: www.saude.df.gov.br. Acompanhe por lá.

Não deixe de se vacinar e vacine a sua família. O sarampo mata!

Em caso de dúvida, procure o Posto de Saúde mais próximo de sua casa.

 

Sarampo mata

O Sarampo também é uma doença viral, facilmente transmitida de pessoa para pessoa, através do contato com o fluído corporal da pessoa infectada.

Os primeiros sintomas da doença podem aparecer entre 07 e 14 dias, após o contato com o infectado. Os sintomas são manchinhas vermelhas por todo o corpo; coceira; conjuntivite; e o surgimento de bolinhas brancas na boca ou gengivas.

Essas bolinhas brancas são chamadas de sinal de Koplik, em homenagem a quem descreveu este sintoma, que desaparece em até dois dias depois que aparecem as erupções na pele. Além destes sintomas, a criança apresenta ainda febre alta; mal estar; tosse persistente; coriza, e infecção no ouvido e nariz, sintomas que podem ser confundidos com uma gripe forte.

Não existe tratamento específico para o sarampo, apenas medicamentos para atenuar o desconforto causado pela doença.

A única forma de prevenir a enfermidade e tomando a vacina contra o sarampo, que é contraindicada para pessoas com a suspeita da doença; gestantes; Imunocomprometidos e menores de 6 meses de idade.

Leve seu filho(a) para ser imunizado(a)!

Em caso de dúvida, procure o Posto de Saúde mais próximo de sua casa, ligue no 160 ou acesse www.saude.df.gov.br.

 

Informações:
Secretaria de Saúde do DF
Disque-Saúde: 160

 

Por Gislene Ribeiro

2020-02-11T17:24:35-03:0011/02/2020|