Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe: Vacine-se já e se proteja da gripe

Devido ao surto de gripe que atinge o país neste mês de março, o Governo Federal lançou, no dia 10/04, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe.

A empreitada foi lançada por meio de coletiva de imprensa cedida pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, na manhã de hoje em Porto Alegre.

Até o momento, foram registrados 232 casos de influenza e 50 mortes. Das mortes, 31 ocorreram no Amazonas; 11 tinham mais de 60 anos e 9 menos de 5 anos.

Como visto, crianças e idosos, entre outros grupos de pessoas, são mais vulneráveis ao vírus da gripe, podendo ter complicações, evoluindo para o óbito.

Por essa razão, a vacinação é voltada para o grupo prioritário, composto por:

– Idoso, a partir de 60 anos;
– Crianças de seis meses a menores de seis anos (ou seja, até cinco anos, 11 meses e 29 dias);
– Gestantes;
– Puérperas (até 45 dias após o parto);
– Trabalhadores que atuam em unidades de saúde (médicos, enfermeiros, pessoal da limpeza, cozinha e segurança).
– Povos indígenas;
– Pessoas privadas de liberdade;
– Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas;
– Funcionários do sistema prisional;

Nesta primeira etapa, de hoje, 10/04, a 21/04, terá prioridade para vacinar as gestantes e as crianças. Já na segunda fase, que inicia a partir do dia 22/04, todos os outros membros do grupo prioritário poderão se imunizar.

A campanha segue até o dia 31 de maio e o dia da mobilização nacional de vacinação, o Dia D, está previsto para o sábado, dia 04 de maio.

Cerca de 63,7 milhões de doses da vacina foram adquiridas pelo o Ministério da Saúde. A meta é vacinar 90% dos membros do grupo prioritário, um total de 58 milhões de pessoas, dos quais 778.627 estão em Brasília.

Vale destacar que a vacina leva de 15 a 20 dias para fazer efeito, então, quanto mais cedo a pessoa se imunizar, melhor.

A vacina é contraindicada para alérgicos a ovo. Também não é recomendado vacinar indivíduos com febre. Já pessoas que estão tomando antibióticos ou estão com imunodepressão, natural ou medicamentosa devem procurar o médico para receberem orientações.

Para se vacinar, é preciso se deslocar até uma das 130 unidades de saúde, portando a caderneta de vacina e um documento de identidade.

Os postos de vacinação funcionam de segunda a sexta, das 8h às 12h e das 13h às 17h. Para saber quais postos estão realizando a vacinação, clique aqui.

O Vírus Influenza, Sintomas e a Venda de Vacinas

A gripe é uma doença viral causada pelo vírus influenza, que causa infecção no trato respiratório.

Existem 3 tipos de vírus influenza: A, B e C.

Influenza A – responsável por epidemias sazonais e grandes pandemias. De acordo com a secretaria de Saúde, os vírus influenza A são ainda classificados em subtipos de acordo com as proteínas de superfície, hemaglutinina (HA ou H) e neuraminidase (NA ou N). Dentre os subtipos de vírus influenza A, os subtipos A(H1N1) e A(H3N2) circulam atualmente em humanos. Alguns vírus influenza A de origem aviária também podem infectar humanos causando doença grave, como no caso do A (H7N9).

Influenza B – responsável por epidemias sazonais.

Influenza C – responsável por infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública e não está relacionado com epidemias.

Entre os sintomas mais comuns da gripe, estão: dores no corpo; mal estar; febre; tosse; dor de garganta; dor de cabeça e coriza.

A vacina distribuída pelo SUS tem eficácia de 1 ano e  é trivalente, ou seja, protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam nos últimos meses no país:  Influenza A/H1N1; Influenza A/H3N2 e Influenza B  (subtipo Brisbane).

Na rede particular, além da vacina trivalente, pode ser encontrada a vacina do tipo quadrivalente, que protege contra os vírus: Influenza A (H1N1); Influenza A (H3N2); Influenza B/Brisbane e Influenza B/ Phuket.

Em Brasília, o valor da dose da vacina contra gripe na rede particular varia, e pode ser encontrada a partir de R$150,00.

 Prevenção

Com a queda da temperatura e chegada do tempo seco, aumentam as possibilidades de transmissão do vírus da gripe. Isso porque vírus ataca diretamente a via respiratória, e nos períodos de frio, as pessoas tendem a ficar em ambientes fechados e umas próximas as outras, facilitando que o vírus se espalhe rapidamente.

A gripe é transmitida a um ser saudável após ele ter contato com a secreção contaminada de um ser gripado, por meio de um espirro, tosse ou fala. Ao receber um simples toque de um ser gripado, que acaba de tossir ou espirrar e cobriu a boca com a mão e não a lavou, o ser saudável também pode gripar.

Segundo o Ministério da Saúde, a vacina da gripe é bastante eficaz para evitar a gripe, mas afirma que é essencial manter a higiene para não disseminar os vírus da gripe, além de outras doenças contagiosas.

Seguem algumas dicas:

– Lavar e higienizar as mãos com frequência;

– Utilizar lenço descartável para higiene nasal;

– Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;

– Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;

– Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;

– Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;

– Manter os ambientes bem ventilados;

– Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de gripe,

– Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos

– Evitar aglomerações e ambientes fechados (procurar manter os ambientes ventilados)

Tratamento

Os sintomas da gripe perduram de 7 a 10 dias. Neste período, beba muita água e descanse.

Para amenizar os sintomas, os doentes podem fazer uso de medicamentos, como antivirais, antitérmicos e analgésicos.

Casos de morte

Segundo o Ministério da Saúde, ao longo do ano de 2018, foram registrados 6.678 casos e 1.370 óbitos por influenza em todo o Brasil. Em Brasília, foram registrados 639 casos graves de gripe, sendo 72 por H1N1.

Já este ano, de acordo com o Ministério da Saúde, o país registrou, até 31 de março, 232 casos das variações do Influenza, dos quais 50 evoluíram para o óbito.

E na Capital Federal, até o início de abril foram registrados quatro casos, confirmados pela Secretaria de Saúde do DF, de pessoas que contraíram a influenza A do subtipo H1N1.

 

Dúvidas

Em caso de dúvidas, entre no site do Ministério da Saúde e acesse o menu: “Perguntas e respostas” – ou clique aqui – e tire todas as suas dúvidas sobre a Vacinação da Gripe.

 

 

Informações:
Ministério da Saúde
Endereço: Esplanada dos Ministérios Bloco G
Telefone: (61) 3315-2425
Disque saúde / Ouvidoria Geral do SUS: 136

 

Por Gislene Ribeiro

2019-04-30T07:30:17-03:0029/04/2019|