A mãe participa do mistério da criação

 

Do domingo em que se celebra o Dia das Mães, vale refletir, sobretudo nos tempos que estamos vivendo, sobre a necessidade da maternidade em um mundo que, há muito, parece estar órfão. O Papa Francisco, em uma homilia na festa de Nossa Senhora das Dores de 2015, afirma que as virtudes da maternidade deveriam ser contagiosas. Na atualidade, sobretudo o acolhimento, a ternura e o perdão, destacados pelo Papa, são cada vez mais necessários em um mundo que se apresenta indiferente, hostil e rancoroso.

As virtudes anexas ao dom da maternidade estão associadas intimamente à vida e à criação. O Santo Padre afirma que “A mãe colabora com Deus para que se verifique o milagre duma nova vida”, e ainda, “cada mulher participa do mistério da criação que se renova na geração humana”.

E nas maiores necessidades de um filho, sobretudo nos momentos de medo, se recorre a proteção da mãe. Da mesma forma, os grandes autores espirituais nos ensinam que, nas tensões que se apresentam no dia a dia e na humanidade, devemos, como crianças, nos colocar sob o manto protetor da Virgem Santíssima, o modelo perfeitíssimo de Mãe, como rezamos “sub tuum praesidium” – Abaixo de Tua proteção – nós nos colocamos, ó Mãe Santíssima.

Neste dia, pois, rezemos para que todas as mães tenham na Virgem Maria o exemplo de maternidade e sejam agraciadas pelas virtudes necessárias para cumprir com generosidade esta missão sublime. Nas Santas Missas, em todas as Paróquias da Arquidiocese de Brasília, rezaremos pelas mães que cumprem sua missão e aquelas que já fizeram sua Páscoa e terminaram sua caminhada terrestre.