Arquidiocese de Brasília abre a Fase Arquidiocesana do Processo Sinodal 2021-2023

Comunhão, participação e missão.” Com esta temática, foi iniciada a Fase Arquidiocesana do Sínodo dos Bispos neste domingo (17), com a Santa Missa presidida pelo Arcebispo de Brasília, Dom Paulo Cezar. A Celebração contou com a presença do Cardeal Dom João Braz de Aviz, Prefeito para a Congregação dos Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica e Arcebispo emérito de Brasília, Dom Marcony Vinícius, bispo auxiliar de Brasília, vários padres, dentre eles o coordenador arquidiocesano de Pastoral, Padre Agenor Vieira – responsável pela organização desta fase arquidiocesana – e por vários fiéis leigos e leigas que acorreram a Catedral Metropolitana de Brasília para participar deste momento importante para a Igreja.

 

Em sua homilia, Dom Paulo refletiu sobre o Evangelho do dia, recordando que os cristãos não devem brigar por questões de ego, mas devem manter uma sadia “competição” para servir mais, amar mais, estar mais à disposição do irmão. Além disso, fez memória das palavras do Papa Francisco na Abertura do caminho sinodal em Roma, onde afirmou que este processo deve ser inspirado pelos verbos “encontrar”, “escutar” e “discernir”. A comunidade deve ser a casa do encontro, mas para isso, todos os cristãos precisam, primeiro, encontrar a Deus na oração e na adoração.

Sobre o retorno da frequência dos fiéis depois deste período de pandemia o Arcebispo confidenciou: “como alegrou o meu coração a Catedral cheia, na Festa de Nossa Senhora Aparecida, o povo sedento de Deus, sedento de estar na casa de Deus.”

Por ser casa do encontro, a comunidade também deve ser casa da comunhão e da escuta. O outro não deve ser rival, afirmou Dom Paulo Cezar, mas deve ser um dom para a vida. A Igreja deve ser um ambiente de escuta e a Arquidiocese de Brasília já tem feito esse caminho com a escuta na Assembleia Arquidiocesana, com a Assembleia Eclesial da América Latina e , agora, um caminho de escuta para o Sínodo em 2023.

Por fim, Dom Paulo relembrou que a Igreja não é uma democracia porque não são os homens que tem a decisão sobre ela, mas sim é a vontade do Senhor que deve reinar e prevalecer. “Que esse tempo possa ser muito rico para nossa Igreja, um tempo do Espírito.”, concluiu Dom Paulo Cezar.

Ao final da Santa Missa, foi apresentada a equipe que organizará a etapa arquidiocesana do processo sinodal, juntamente com o Padre Agenor Vieira, coordenador arquidiocesano de pastoral que agradeceu a disponibilidade de todos e explicou como se dará este itinerário.