Arquidiocese realiza confraternização Natalina para povo de rua

Dentro da programação do ano Jubilar, a pastoral do povo de rua celebrou o seu tradicional “natal do povo de rua” na última quinta feira, dia 12 de dezembro.

No período da manhã, às 8h00, ocorreu à acolhida para pessoas em situação de rua com o em frente à Catedral com um delicioso café da manhã. Além do alimento, houve momento de dinâmica em grupo com o objetivo de mostrar e levar o real símbolo do Natal aos irmãos.

Sebastião Martins, contou que levantou cedo para poder trabalhar como voluntário  e “é maravilho participar de uma ação assim. Fico mais feliz ajudando eles porque vejo a satisfação deles em serem ajudados”. Vicentino na paróquia São Judas Tadeu, este é o primeiro Natal do Povo de rua ao qual participa.

Já o João Batista, vicentino na paróquia São José operário da Candangolândia, chamou atenção de muitos pelo sorriso largo ao servir café. Também em sua primeira participação falou que “estar ali era uma alegria por poder ajudar ao próximo e que ver o sorriso no rosto destes irmãos é gratificante”.

Por volta das 10h00, foi celebrada a missa na Catedral de Brasília presidida pelo Cardeal Dom Sergio da Rocha. A música ficou por conta do coral Totus Tuus, formado por crianças.

Dom Sergio iniciou a missa acolhendo a todos de uma forma fraterna e “bem dizendo a Deus porque nos reuniu no amor de Cristo, isto é você esta aqui por que Jesus lhe trouxe ate aqui”.Em sua homilia, o Cardeal enfatiza para as pessoas em situação de rua que   “a igreja quer acolher a todos, seja qual for a sua situação, a igreja te recebe com carinho, porque aqui, é sua família…Vocês são amados pela igreja”.

Ainda em sua homilia “estamos aqui , não só porque a igreja ama, estamos aqui porque Deus nos ama, e ama a quem mais sofre… Ele demonstrou isso desde o seu nascimento. Ele nasceu sem ter um lugar apropriado, nasce numa manjedoura, assim acontece com quem vive em situação de rua, e quem chegou perto de Jesus primeiro foi  gente sofrida, os pastores, os que cuidavam das ovelhas , do rebanho, e que não eram gente queridas, pelo contrario , mas são eles que estão perto de Jesus em primeiro lugar. Ali estão os que representam hoje os moradores em situação de rua , aqueles que vão até Jesus, como nós que viemos até Jesus…mas é Jesus que vem a nos , que vem mostrar que ele ama a todos. Ele vem para salvar a todos, para ser o sinal maior de Deus para com todos…lembre-se sempre, seja qual for a sua situação nesta igreja, Deus te ama, concluiu”.

Após a missa, o povo foi conduzido para a Paróquia São Judas Tadeu, 908 sul, onde foi servido almoço. Mais de mil pessoas em situação de rua estiveram presentes.

Entre os acolhidos, estava Gisele, mãe de duas crianças, atualmente ficando no Alberg  do Areal, “a gente fica feliz, por que tem muitas crianças hoje em dia abandonadas  e ver alguém fazendo alguma coisa pra gente, acho um beneficio para as crianças estarem feliz… estas pessoas que estão aqui nos tratam com amor né, hoje em dia o ser humano não tem mais amor, eu estou me sentindo amada”.

Cerca de 40 voluntários colocaram a mão na massa para o preparo e o servir do almoço.  Após a refeição, diversos brindes foram distribuídos e, para as crianças, teve brinquedos infláveis.

 

Veja também a matéria da canção Nova

2019-12-16T13:48:20-03:0016/12/2019|