Brasília celebra os 50 anos da Catedral de Brasília e se despede de Dom Sergio da Rocha

No dia 31  de maio de 1970, no encerramento do oitavo Congresso Eucarístico Nacional, a Catedral de Brasília era consagrada. Localizada no centro administrativo do país, a Catedral se faz presente não apenas como o primeiro monumento a ser erguido, mas como igreja mãe que acolhe a todos.

Com este espírito acolhedor, antecipando  a comemoração para o sábado devido a Pentecostes, na manhã ensolarada de sábado (30), a Arquidiocese de Brasília celebrou os 50 anos de dedicação da Catedral Nossa Senhora Aparecida. Sem a presença dos fiéis por causa do isolamento social para conter o avanço do COVID-19, a missa iniciou-se às 10h30 e foi transmitida ao vivo pelos meios de comunicação digital da Arquidiocese. Na ocasião, o Cardeal Dom Sergio da Rocha se despediu do povo fiel.

A missa foi presidida pelo Cardeal Dom Sergio, seus bispos auxiliares, Dom Aparecido e Dom Marcony e concelebrada pelo Núncio apostólico Dom Giovanni Danielo e Mons. Rastilav; Dom Waldemar, bispo na diocese de Luziânia e presidente do regional Centro Oeste; Cardeal Dom Raimundo  Damasceno, bispo emérito de Aparecida;  Dom Dilmo, bispo auxiliar  de Anápolis; Monsenhor Geová, bispo eleito de Goiás; Pe. João Firmino, pároco da Catedral de Brasília; Pe. Caio; Pe. Antons; Pe. Júlio, coordenador do Clero; Pe. Eduardo; diáconos e seminaristas. Como de costume, a liturgia foi animada pela banda Maranata.

O Cardeal saudou a todos os presentes bem dizendo a Deus “por esses 50 anos da dedicação dessa igreja tão querida, a Catedral Nossa Senhora Aparecida, eu me uno a toda a igreja de Brasília para bem dizer a Deus também por esses 9 anos de serviço como Arcebispo dessa Arquidiocese querida”.

Antes do prosseguimento do rito normal, Pe. João Firmino recordou um pouco da história da Catedral, já saudosista, referindo-se ao templo como “coroa de nossa cidade, esplendor de nossa explanada, marco mundial de nossa Arquitetura. ”

O presidente da celebração, em sua homilia, destacou que “a palavra de Deus ilumina essa celebração jubilar e orienta os nossos passos, convidando-nos a contemplar o templo do Senhor. Mas que templo devemos contemplar? Essa Catedral com a sua beleza única que abriga os fiéis dessa Arquidiocese e encanta todos os visitantes, o templo vivo do senhor que somos nós, a igreja viva, o santuário do senhor que e habita em cada um de nós”.

Com base na primeira leitura, dom Sergio destaca a palavra de Neemias: “não fiqueis tristes, porque a alegria do Senhor será a vossa força”. O Cardeal explica que diante a tudo o que estamos vivendo, “não podemos desanimar, não podemos desistir de ir em frente, de rezar, de viver como cristão, ao contrário, somos convidados a encontra em Deus a alegria e a força para caminhar, devemos repetir hoje, a mesma atitude daquela assembleia reunida em oração, lá naquele tempo, todo o povo escutava com atenção a leitura do livro da lei e todos responderam: amém! Essa deve ser a nossa atitude hoje, esse deve ser o caminho a seguir, escutar a palavra de Deus e responder diante do Senhor “Amém”, sejam quais forem as situações que passamos. ”

Prosseguindo em sua homilia “ao longo desses 50 anos, a palavra de Deus tem sido proclamada nessa Catedral.  Aqui uma multidão imensa tem escutado com atenção a palavra de Deus e tem respondido Amém. […] Essa Catedral com suas belas colunas, recordando mãos elevadas para Deus em oração, seja sempre sinal visível da igreja viva, da igreja orante, igreja que escuta a palavra, da igreja em missão. Seja essa Catedral estímulo para olharmos para o céu, seja um convite incessante a oração. ”

Finalizando, Dom Sergio bendiz ao Senhor  “pelos que construíram a Catedral, por aqueles que cuidaram deste templo, que estiveram a serviço, pelos que hoje se dedicam a cuidar e por fim, por esses nove anos em que tive a graça em participar da história dessa Catedral como Arcebispo, tendo aqui vivido tantas alegrias.”

 

Já nos ritos finais, o Núncio Apostólico, Dom Giovanni Danielo, leu a mensagem enviada pelo Papa Francisco por ocasião do 50º aniversário de dedicação da Catedral Nossa Senhora Aparecida. O Papa em sua carta, “concede de bom agrado, a todos os habitantes de Brasília a benção apostólica, pedindo também que, por favor, não deixem de rezar por ele. ” O Núncio aproveita, também, para despedir-se do amigo “vizinho” desejando-lhe boa viagem.

Em tom de despedida, Dom Aparecido agradece o servir do Cardeal em nome dos bispos e padres e narra suas experiências com o Cardeal. Clique aqui para ler completa a mensagem.

Emocionado, O Cardeal agradeceu aos amigos presentes na celebração, lembrou dos que não puderam estar presentes por causa da pandemia, e a todos que junto dele estiveram.

Dom Sergio grava uma mensagem a todo o povo fiel da Arquidiocese de Brasília. Veja:

 

 

Para ver mais fotos, clique aqui.

Fotos e Video: Pascom Brasilia

2020-06-05T13:49:20-03:0031/05/2020|