CJPDF – 33 Anos De Atuação

Em mensagem por ocasião do aniversário de  33 anos da Comissão Justiça e Paz de Brasília (CJP-DF), o Cardeal Arcebispo Dom Sergio da Rocha destaca a importância da entidade para a história da Igreja do Distrito Federal. O texto foi lido durante a Conversa de Justiça e Paz, evento realizado há seis anos e que, na edição de novembro. destacou a dimensão social da Arquidiocese em seu ano jubilar. Leia abaixo a mensagem do Arcebispo:

“A celebração de um aniversário de vida sempre traz alegria e ação de graças, mas esta comemoração dos 33 anos da Comissão Justiça e Paz tem especial importância por ocorrer no Ano Jubilar da Arquidiocese de Brasília, no qual temos procurado valorizar mais a nossa história, o seu passado e o presente.

 

A Comissão Justiça e Paz Arquidiocesana faz parte desta história, tem sido um dos frutos preciosos da história de nossa Arquidiocese e, ao mesmo tempo, tem dado sua inestimável contribuição para a construção desta mesma história. É patrimônio a ser valorizado e compartilhado, sempre mais. É dom de Deus a ser acolhido com gratidão e cuidado com carinho e responsabilidade. A oração para este Ano Jubilar fala da fé professada, celebrada e vivida, ao longo destes 60 anos de evangelização.

A missão evangelizadora da Igreja não ocorre somente pelo anúncio da Palavra, que é sempre muito importante; acontece também pelo testemunho. O testemunho torna-se sempre mais necessário, em nosso tempo. Testemunho da caridade, isto é, do amor aos pobres e sofredores, testemunho da promoção da justiça e da paz, testemunho de misericórdia, solidariedade e serviço, testemunho profético portador de esperança e vida nova. A dimensão social integra a ação evangelizadora da Igreja; é expressão do ser “sal da terra” e “luz do mundo” que caracterizam o agir cristão e a comunidade cristã. Por isso, a dimensão social não pode ser negada, nem descuidada. A fé não pode ficar confinada aos templos ou restrita à vida privada, como muitos preferem. Tem sempre sérias implicações para a vida social, nos seus diversos âmbitos. Por isso, não podemos ignorar os graves problemas vividos pela população, especialmente pelos mais pobres, identificando os desafios concretos e contribuindo para a sua superação. Não podemos jamais abandonar os pobres!

A Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese faz parte desta história de fé vivida, no Distrito Federal, através do testemunho, do diálogo e do serviço, na construção da justiça e paz, sempre mais necessárias no Brasil e no mundo. O testemunho pessoal se completa com o testemunho comunitário; com o caminhar juntos. Os desafios sociais, de cunho político, econômico e cultural, são grandes demais para serem superados sozinhos. Necessitamos caminhar juntos, pensar juntos, assumir juntos a tarefa imensa de construir a justiça e a paz. Por isso, necessitamos muito da Comissão Justiça e Paz. Contudo, este caminhar juntos não se esgota no interior da comunidade eclesial católica. Abre-se para o diálogo, a reflexão conjunta com homens e mulheres de boa vontade, dispostos ao compromisso de edificar uma nova sociedade onde reinam a justiça e a paz, segundo o querer de Deus. Seja a Comissão Justiça e Paz portadora de esperança de vida nova, esperança da construção de uma nova sociedade, defensora da vida e da dignidade de cada pessoa humana, especialmente dos direitos dos mais pobres e fragilizados.

Nesta ocasião, em nome da Arquidiocese de Brasília, quero expressar a gratidão a todos os que têm construído a história da Comissão Justiça e Paz, desde os seus inícios, ontem e hoje. Quero agradecer e felicitar a todos na pessoa do atual presidente, Mauro Noleto.  Agradeço a Deus por poder participar, ainda que modestamente, desta história bonita, por ter sido a ela associado pela divina providência, compartilhando alegrias e dores da Comissão e do nosso povo.

Nós somos convidados a celebrar os 60 anos da Arquidiocese de Brasília e os 33 anos da Comissão Justiça e Paz com um tríplice olhar: para o passado, com ação de graças e gratidão; para o futuro, com esperança; para o presente, com compromisso e responsabilidade, valorizando e apoiando a Comissão Justiça e Paz, e de modo especial, participando de sua missão e de suas iniciativas. Parabéns aos membros de ontem e de hoje da Comissão! Deus continue a abençoar a todos que tem construído a Comissão Justiça e Paz ao longo destes 33 anos, e nos anime a caminhar sempre, sem jamais desanimar diante das dificuldades. Acima de tudo, jamais perder a esperança, jamais desistir de trilhar o caminho da justiça e da paz que, ao mesmo tempo, é dom e tarefa, graça e responsabilidade. Bendito seja Deus pela Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de Brasília!”

        Cardeal D. Sergio da Rocha, arcebispo de Brasília
2019-11-09T07:33:17+00:0009/11/2019|