Com Jesus, há sempre novos horizontes: Papa encontra os jovens malgaxes

“O encontro pessoal com Jesus é insubstituível, não de maneira solitária, mas em comunidade. Sozinhos podemos fazer grandes coisas, sim; mas juntos podemos sonhar e comprometer-nos com coisas inimagináveis”, disse o Papa aos jovens.

Bianca Fraccalvieri – Cidade do Vaticano

A vigília com os jovens concluiu o primeiro de eventos oficiais do Papa em Madagascar.

O Campo Diocesano de Soamandrakisay parecia acolher uma edição reduzida da Jornada Mundial da Juventude, com milhares de jovens congregados.

Jovens em movimento

Depois de assistir a danças e cantos, Francisco dirigiu seu discurso à juventude inspirando-se no testemunho dado por dois jovens malgaxes.

“Como é bom encontrar dois jovens com uma fé viva, em movimento!”, elogiou o Papa.

“ O discípulo de Jesus, se quiser crescer na sua amizade, não deve permanecer imóvel, a lamentar-se debruçado sobre si mesmo. Deve mover-se, agir, comprometer-se, seguro de que o Senhor o sustenta e acompanha. ”

O Senhor nos chama pelo nome

O primeiro testemunho foi de Rova Sitraka, que contou sua experiência como agente pastoral numa prisão.

“Na tua missão, aprendeste a renunciar aos adjetivos e a chamar as pessoas pelo seu nome, como o Senhor faz conosco”, comentou o Papa.

O Senhor não nos chama pelo nosso pecado e erros, mas pelo nosso nome, porque cada um é precioso a seus olhos.

Já o diabo, apesar de conhecer os nossos nomes, prefere nos chamar e recordar continuamente os nossos pecados e os nossos erros; e, assim, faz-nos sentir que, por mais que façamos, nada pode mudar, tudo permanecerá igual. “O Senhor não age assim”, explicou o Papa.

“ O Senhor chama-nos pelo nosso nome e diz-nos: «segue-Me!» Não para nos fazer correr atrás de ilusões, mas para transformar cada um de nós em discípulo-missionário aqui e agora. ”

Com Jesus, encorajou Francisco, há sempre novos horizontes. Ele quer nos transformar e fazer da nossa vida uma missão. Mas pede para não termos medo de colocar as mãos na massa.
Através dos jovens, disse ainda o Papa, o futuro entra em Madagáscar e na Igreja.

“O Senhor os convida a ter coragem, unidos a Ele, para escrever a mais bela página de sua vida, para vencer a apatia e oferecer uma resposta cristã aos numerosos problemas que vocês têm que enfrentar.”

O encontro pessoal com Jesus é insubstituível

O Senhor, porém, não quer aventureiros solitários, acrescentou o Pontífice.

“ O encontro pessoal com Jesus é insubstituível, não de maneira solitária, mas em comunidade. Sozinhos podemos fazer grandes coisas, sim; mas juntos podemos sonhar e comprometer-nos com coisas inimagináveis. ”

Citando a experiência da jovem Vavy Elyssa, Francisco convidou os jovens a jamais se isolarem. “Esta é uma das piores tentações que podemos ter.”

“Somos uma grande família e podemos, queridos jovens, descobrir que temos uma Mãe: a protetora de Madagascar, a Virgem Maria.”

“ Ela disse «sim» sem subterfúgios. É o «sim» das pessoas que querem comprometer-se prontas a assumir os riscos, que querem apostar tudo, sem outra garantia para além da certeza de saber que são portadoras duma promessa. ”

O Papa então concluiu:

“A Ela, quero confiar a vida de todos e cada um de vós, das vossas famílias e dos vossos amigos, para que não vos falte jamais a luz da esperança e Madagáscar possa ser cada vez mais a terra que o Senhor sonhou.”

Vatican News

2019-09-10T09:09:47+00:0010/09/2019|