Comunicação que transforma

Retiro para comunicadores da Arquidiocese de Brasília reúne Dom Marcony, Dom Aparecido e agentes para refletir sobre o serviço pastoral

“O que Jesus Cristo postaria?” Foi esse questionamento que norteou a fala de Dom Marcony Vinícius, no primeiro retiro de comunicadores da Arquidiocese de Brasília, no dia 10 de novembro. Voltado principalmente para agentes de Pastorais da Comunicação das diversas paróquias, o dia de espiritualização contou ainda com a pregação de Dom José Aparecido, também bispo auxiliar de Brasília; do Irmão Diego Joaquim, que é missionário redentorista e coordenador regional da Pascom; e do coordenador da Pascom Brasil, Marcus Tullius.

Comunicar para transformar o mundo. Foi a mensagem que ficou do dia de oração, meditação e contemplação. “Nossa comunicação tem de levar as pessoas a rezarem”, resumiu Sanderson Carneiro Lima, 43 anos, coordenador da Pastoral da Comunicação da Paróquia Imaculado Coração de Maria, do Park Way, ao se lembrar dos ensinamentos daquele domingo.

Para ele, ficou claro que a Igreja está atenta à importância da comunicação para o que ele chama de “pescaria de homens”. A presença de dois bispos no retiro, ele pontua, é prova disso. “Vê-se que é um assunto importante para a Arquidiocese”, aponta.

A espiritualidade, o mais importante pilar que norteia a comunicação pastoral, foi tratada por todos os palestrantes. “A comunidade vai ganhar muito com o retorno dos agentes, que poderão fazer muito mais do que já faziam dentro de cada paróquia”, explica Kennedy Mikael, 20 anos, que coordena a Pascom da Paróquia Nossa Senhora das Graças, em Samambaia Sul.

Além de trocar experiências valiosas com pasconeiros de vários lugares do DF, o encontro trouxe um novo olhar para o serviço pastoral, ele conta. “Acrescentou muito com relação ao que podemos fazer para realizar um trabalho pastoral na comunidade. Ganhar almas para Deus através da comunicação. Tudo ganhou um sentido”, conclui.

 Irmão Diego                      |Dom Marcony 

Encontro com Deus

 

Ter intimidade com a Palavra de Deus é imprescindível para que se evangelize, seja pelo testemunho, pela vida sacramental e de oração, seja pelos posts nas redes sociais ou mesmo por meio de fotografias. Os ensinamentos de Dom Marcony permearam todo o dia de reflexão e ganharam eco nas falas de Irmão Diego e de Marcus Tullius.

“Não precisamos ser competentes somente na técnica; temos de ser mestres e doutores em levar a presença do Senhor”, resumiu o missionário, que ainda ensinou: “O encontro pessoal com Jesus é que nos capacita a comunicar o amor de Deus.”

Foi a partir da leitura orante da passagem dos Discípulos de Emaús que Marcus conduziu os comunicadores à meditação, oração e contemplação da Palavra de Deus. Anunciar que o Cristo vive é urgente.

Dom Aparecido conduziu o último momento da espiritualização, com a realização da Via Sacra, ali mesmo, nos jardins do Seminário Maior da Arquidiocese de Brasília. Relembrar o sofrimento de Jesus Cristo a caminho do calvário e celebrar a ressurreição, por meio da contemplação do túmulo vazio, levaram os comunicadores a refletirem sobre a missão de fazer comunicação pastoral.

O resumo desses ensinamentos ficou nas palavras da vice-coordenadora da Pascom Brasília, Pollianna Carla: “A missão do comunicador-evangelizador é multiplicar o amor de Jesus Cristo.”

 

Milena Lopes