Conselhos ARQUIDIOCESANOS

  • Colégio de Consultores

O Colégio de Consultores é um organismo obrigatório em todas as arqui (dioceses) católicas. Sua função é auxiliar o Arcebispo como conselho nas decisões e governo da Arquidiocese. Além disso, em casos previstos pelo Código de Direito Canônico, deve ser consultado para consentir em algumas decisões.

Este Colégio é constituído por sacerdotes, em número não inferior a seis e não superior a doze. Eles são escolhidos livremente pelo Arcebispo por um mandato de tempo determinado de cinco anos ou quanto o bispo decidir. Este conselho é sempre convocado pelo Arcebispo, ou em caso de vacância, por quem faz as vezes do bispo.

  • Conselho Presbiteral

O Conselho Presbiteral é um grupo de sacerdotes que funciona como uma espécie de senado do Bispo além de representar o presbitério, a fim de auxiliar o Arcebispo no governo da Arquidiocese nos termos do direito, para promover o mais possível o bem pastoral do povo de Deus que lhe foi confiado. Este Colégio é composto por presbíteros eleitos pelos próprios padres – na Arquidiocese de Brasília, são os coordenadores de setor –; por presbíteros membros natos por razão do ofício que lhes são confiados; e por presbíteros escolhidos livremente pelo Arcebispo. Quem preside o Conselho Presbiteral é o Arcebispo que o convoca e determina os assuntos a tratar ou aceita as propostas apresentadas pelos membros. Além disso, este grupo goza apenas de voto consultivo, onde o bispo ouve com diligência o conselho e decide, nas circunstâncias que lhe cabe. Quando da vacância, o Colégio de Consultores abarca as funções do Conselho Presbiteral.

  • Conselho Pastoral Arquidiocesano

             O Conselho Pastoral, sob a autoridade do Arcebispo, tem a função de ponderar o que concerne às atividades pastorais da Arquidiocese e suas conclusões práticas. Ele é constituído por fiéis que se encontrem em plena comunhão com a Igreja Católica, quer clérigos, quer membros de institutos religiosos, quer sobretudo leigos, designados pelo modo determinado pelo Arcebispo. Os fiéis escolhidos para o conselho pastoral são de tal modo selecionados que, por meio deles, toda a porção do povo de Deus, que constitui a Arquidiocese, esteja representada, tendo em consideração as diversas regiões da Arquidiocese, além das condições sociais e profissionais e ainda a parte que cada um exerce no apostolado individualmente ou em conjunto com outros. O Conselho Pastoral tem voto apenas consultivo e aquilo que ali é decidido compete exclusivamente ao Arcebispo tornar público.

Na Arquidiocese de Brasília, o Conselho Pastoral é constituído pelos membros dos diversos setores pastorais com suas representações: Catequese, Educação e Cultura; Juventude; Social; Litúrgico; Vocacional – Missionário; Vida e Família; Comunicação; Movimentos Eclesiais.

  • Conselho de Assuntos Econômicos

O Conselho de Assuntos Econômicos, ao qual preside o próprio Bispo diocesano ou o seu delegado, e que se compõe ao menos de três fiéis, nomeados pelo Bispo, que sejam verdadeiramente peritos em assuntos econômicos e em direito civil, e notáveis pela integridade de vida, é responsável por gerir, aprovar ou rejeitar as contas arquidiocesanas., além de prover os orçamentos de receitas e despesas que se preveem para a administração de toda arquidiocese. Os membros do conselho para os assuntos econômicos são nomeados por cinco anos; decorrido este prazo, podem ser reconduzidos por outros períodos de cinco anos.

Para baixar a lista com os nomes, clique aqui.