Curso de Libras possibilita a inclusão social e o exercício da cidadania da pessoa com surdez

Atualmente, há no Brasil cerca de 9,2 milhões de brasileiros portadores de deficiência auditiva, segundo o censo realizado pelo IBGE em 2010. Ainda de acordo com a pesquisa, só no Distrito Federal, o número chega a 360 mil pessoas, representando cerca de 14,42% da população.

Para facilitar a comunicação entre os deficientes auditivos, e até mesmo com pessoas ouvintes, foi criada a Língua Brasileira de Sinais, LIBRAS, regulamentada e reconhecida em 2002, por meio da Lei nº 10.436/2002, como a língua oficial das pessoas surdas.

Mais que troca de informação, a LIBRAS permite ainda, por meio de combinações gestuais, a educação, a formação, a evangelização e, principalmente, a tão almejada inclusão social e o exercício da cidadania da pessoa com surdez, como enfatiza a coordenadora da Pastoral de Surdo da Arquidiocese de Brasília e Intérprete Tradutora de Libras, Esmeralda Castro.

“Podemos dizer que a regulamentação da LIBRAS, Língua Brasileira de Sinais, e não linguagem, como alguns costumam dizer, foi um divisor de águas, pois temos, a partir daí, um novo horizonte, onde os surdos passaram a lutar com esse respaldo Legal e aos poucos, ainda com muita dificuldade, foram ganhando espaço, empoderamento e visibilidade”, explicou.

Mesmo com todo o avanço conquistado, Esmeralda afirma que ainda há muito a ser feito para melhorar a questão da inclusão da comunidade surda em nosso país.

“Ainda há pouca inclusão da comunidade e, por sinal, em todas as áreas e esferas. E para melhorar, faz-se necessário, principalmente,  o cumprimento da Legislação e das Políticas Públicas; estas que são tão bonitas e bem desenhadas, porém nem sempre são executadas”, disse.

Outro fator que pode auxiliar na inclusão, de acordo com Esmeralda, é a presença de Tradutor e Intérprete de Libras, TILS, em órgãos públicos, como hospitais, escolas, delegacias, como assegura a PL 535/15.

“A presença e o atendimento pelo profissional Tradutor Intérprete de Libras, TILS, nos órgãos públicos, são de grande importância, pois é a garantia de um bom atendimento a pessoa surda e ao mesmo tempo, segurança e tranquilidade à comunidade surda, no sentido de fluência na comunicação entre as duas partes, surdos e ouvintes”, declarou a intérprete.

O discurso de Esmeralda pode ser evidenciado ao se analisar o processo eleitoral de 2018, que levou muitos deficientes auditivos a participarem de todo o processo político. O acontecimento se deu pelo fato da primeira-dama, Michele Bolsonaro, ser intérprete de LIBRAS, e também pela disponibilização de Intérpretes de Libras para todos os candidatos aos cargos políticos do Distrito Federal, como destacou a coordenadora.

“Essa questão realmente merece um destaque. Ter Intérprete de Libras, a partir do TSE, para todos os candidatos do DF e para os candidatos à Presidência do Brasil, com certeza, fez a diferença. E, principalmente, trouxe esclarecimento e conhecimento aos surdos, para que eles pudessem exercer sua cidadania com entendimento pleno. Do meu ponto de vista, enquanto mãe de surdo e Intérprete de Libras, só posso dizer que foi super positivo. E o fato da Primeira-Dama, Michelle Bolsonaro, ter o carisma com a comunidade surda, também ajudou muito e temos esperança, primeiramente em Deus, que dias melhores virão para nossos irmãos Surdos”, concluiu.

Para você que deseja aprender a Língua Brasileira de Sinais, a LIBRAS, o Instituto Nossa Senhora do Brasil – INOSEB – está com inscrições abertas este primeiro semestre de 2019.

Em parceria com a Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos – FENEIS -, serão oferecidos cursos em três módulos: Básico, intermediário e avançado, além do curdo de técnicas de interpretação.

Conforme afirmou o INOSEB, o objetivo da formação é proporcionar às pessoas ouvintes a oportunidade de aprender LIBRAS em nível técnico, com o intuito de que o surdo tenha mais oportunidade de inclusão e comunicação.

As aulas ocorrerão no Instituto Nossa Senhora do Brasil (INOSEB), Asa Sul, a partir de 19 de fevereiro, dependendo da modalidade, variando entre 3 ou 4 horas diárias, totalizando 60 horas/aula cada módulo.

Podem participar da formação, surdos, familiares, ouvintes que trabalham na área de educação, saúde, atendimento social e empresarial e todos aqueles que desejam se comunicar melhor com os surdos.

O cadastro em cada módulo custa R$600,00, com exceção do Curso de Técnicas de interpretação, que custa R$ 625,00. O pagamento poderá ser dividido em até seis vezes.

Para se candidatar a uma vaga, primeiro é necessário se cadastrar no link ao lado: https://bit.ly/2tmk197, até o dia 10 de março, dependendo do módulo.

No ato da inscrição é necessário portar duas cópias dos seguintes documentos: RG, CPF e Comprovante de Residência e de Escolaridade e duas fotos 3×4. Caso o aluno esteja se inscrevendo no curo intermediário ou avançado, pede-se também 02 cópias do certificado/declaração de conclusão do curso de LIBRAS.

Vale ressaltar que ao final do curso, de acordo com normas estabelecidas pelos Institutos, será emitido um certificado reconhecido pelo MEC.

Não perca tempo! Faça já sua inscrição!

 

Informações:
Pastoral de Surdo
Email: verdededeus@gmail.com – Esmeralda Castro

Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (FENEIS)
Endereço: SHIN  Ca 05 – Conj. J2 – Bl. J2 – Sala 215 – Lago Norte
Email: feneisbsbsec@gmail.com / feneisdf@hotmail.com
Telefone: 61 3034 7006 / 3224 1677

Local: Instituto Nossa Senhora do Brasil
Endereço: SEP Sul – EQ 714 /914 Bloco B – W5 Sul (em frente ao Colégio Notre Dame)
Email: inoseb@gmail.com
Telefone: 3245 1009

 

Por Gislene Ribeiro

2019-02-15T17:16:56-02:0015/02/2019|