Dedicação das Basílicas de São Pedro e São Paulo

A Igreja celebra, neste dia 18, a memória da Dedicação das Basílicas de São Pedro e São Paulo. Certamente, se faz lembrança do templo físico onde estão depositados os restos mortais dos pilares da Igreja: São Pedro e São Paulo, mas também, com esta celebração, a Liturgia quer nos mostrar o valor da Igreja na obra de anúncio do Reino de Deus que, no princípio, foi levada à cabo por estes dois apóstolos.

Na oração das Laudes deste dia, a Igreja reza “Ó Deus, guardai sob a proteção dos apóstolos Pedro e Paulo a vossa Igreja, que deles recebeu a primeira semente do Evangelho, e concedei que por eles receba até o fim dos tempos a graça que nos faz crescer”. De fato, o templo físico só faz sentido se construído sobre as sementes de evangelização que dão sentido e razão de ser a existência da Igreja. Ao escolher os doze, Jesus mandou que eles anunciassem a Boa Nova da Salvação a todas as nossas e, além disso, ordenou que rememorassem o Sacrifício da Quinta-feira Santa e o lugar próprio do culto é o templo.

Dizem os ditos populares que as pedras da cidade de Roma falam, pois acompanharam muitas histórias na história. Mais ainda as pedras das Basílicas Papais, pois nelas estão a história de uma Igreja nascente com o sangue daqueles que semearam a fé na capital do Império Romano.

Em 323, a Basílica de São Pedro começou a ser construída pelo Imperador Romano Constantino a pedido de sua mãe Santa Helena, no lugar onde estava sepultado São Pedro. Esta primeira Basílica foi demolida e, no pontificado do Papa Júlio II, iniciou-se a construção da Basílica atual que sou foi concluída em 1626, quando foi consagrada pelo Papa Urbano VIII. Ela é a maior de todas as igrejas católicas do mundo, ocupando uma área de 23.000 m² e com capacidade para acolher 60.000 pessoas.

Já a Basílica de São Paulo fora dos muros (por, na antiguidade, ficar fora dos Muros da cidade de Roma) foi construída, também, sobre o lugar onde São Paulo sofreu seu suplício e foi sepultado. Sempre foi lugar de peregrinação para os cristãos e foi consagrada pelo Papa Pio IX no mesmo dia que a Basílica de São Pedro, mostrando a ligação destes dois apóstolos da evangelização da Igreja primitiva. Em 1823 um incêndio destruiu a Basílica paulina, mas esta foi rapidamente restaurada de forma que, muitos atribuíram a esta reforma uma beleza mais formosa do que a aparência anterior. Na aresta entre as paredes e o teto, rodeiam a nave central da Basílica as imagens de todos os papas da história da Igreja.

Rezemos como a Igreja, neste dia, agradecendo a Deus pelos benefícios realizados por Ele, por meio dos Apóstolos que fizeram chegar aos nossos ouvidos a Boa Nova do Reino de Deus. “Louvor a Vós, Senhor, por vossa santa Igreja, edificada sobre o fundamento dos Apóstolos; com ela formamos um só Corpo.”