Dia de Reis: significa renovar nosso comprometimento com a manifestação de Jesus Cristo

Celebrado no dia 6 de janeiro, o Dia de Reis é popularmente conhecido como o momento em que a árvore de Natal é desmontada. Porém, a data carrega consigo uma série de significados e é comemorada A Epifania do Senhor.

Três reis do oriente que, guiados por uma estrela, foram ao encontro do menino Jesus logo após o seu nascimento.

Sendo assim, os reis magos representam todos os povos do mundo, que na luz da estrela, vai até Cristo para adorá-lo em sua humanidade.

Melquior, cujo nome quer dizer “meu Rei é luz”, veio de Ur, na Caldeia e ofereceu ouro que significa realeza;

Gaspar, cujo nome quer dizer “aquele que vai confirmar”, veio do mar Cáspio e ofereceu incenso que significa a sua divindade;

Baltazar, cujo nome quer dizer “Deus manifesta o Rei”, veio do Golfo Pérsico. E ofereceu mirra significa a humanidade de Cristo e sua morte.

Os presentes simbolizam o reconhecimento de que aquela criança é o verdadeiro Rei, o próprio Deus, em seu mistério divino de amor.

Por essa razão, a solenidade, celebrado no último dia 03, também é conhecida como Epifania do Senhor. A palavra “epifania” é de origem grega e atribuída a esta solenidade significa “revelação”, “manifestação”.

O Arcebispo de Brasília, Dom Paulo Cezar na palavra do Pastor fala que “Celebrar a Epifania significa renovar nosso comprometimento com a manifestação de Jesus Cristo neste mundo que vai se tornando cada vez mais secularizado. Diz o Papa Francisco: Em virtude do Batismo recebido, cada membro do povo de Deus tornou-se discípulo missionário (cf. Mt 28,19). Cada um dos batizados, independentemente da sua função na igreja e do grau de instrução da sua fé, é um sujeito ativo de evangelização, e seria inapropriado pensar num esquema de evangelização realizado por agentes qualificados enquanto o resto do povo fiel seria apenas receptor das suas ações.”

 

2021-01-06T10:46:28-03:0006/01/2021|