Dom Paulo Cezar celebra Padroeiro da Paróquia São Sebastião em Brazlândia

Na noite da última quarta-feira (19/01/2022), Dom Paulo Cezar Costa, Arcebispo de Brasília, celebrou Santa Missa em honra o Padroeiro da Paróquia São Sebastião em Brazlândia. O Arcebispo foi recebido pela comunidade e pelo Pároco, Padre José Eudes, que prepararam uma solene Liturgia para celebrar seu padroeiro.

Em sua homilia, Dom Paulo Cezar destacou a necessidade de que cada vez mais os cristãos abraçarem e testemunharem a fé com a vida e lembrou daqueles que são perseguidos por causa de Jesus Cristo, mostrando o exemplo de São Sebastião. “[…] Cristo é o centro. Não é o imperador que é Deus. O imperador é um homem, os cristãos tinham que ter consciência disso, e os deuses do império não existiam, são mitos e os cristãos não podiam jogar incenso aos deuses do império, ou seja, reconhecer a divindade deles, adorá-los. Isso os cristãos não podiam fazer e não faziam. E por isso, muitos perdiam a vida, perdiam seus bens, tinham suas famílias dizimadas, por causa de Jesus Cristo, por amor a Jesus Cristo.”, afirmou o Arcebispo.

Segundo Dom Paulo, é importante lembrar que, da mesma forma que Jesus foi perseguido, também existe a possibilidade de que seus seguidores também o sejam. “Aquilo que nós ouvimos no evangelho, pois no evangelho Jesus Cristo já exorta aos discípulos a possibilidade de perseguição, ele foi perseguido. Jesus Cristo morreu crucificado. Essa é a grande realidade do cristianismo. O nosso mestre foi perseguido e por isso o discípulo, a discípula de Jesus, é aquele, é aquela que também pode sofrer por causa de Jesus Cristo. E no tempo em que São Sebastião viveu não era somente a perseguição pela língua, pode ser que alguém te difame, não. A perseguição se podia ser condenado à morte por causa de Jesus Cristo, por causa de ser cristão, por causa de não poder ser reconhecer a divindade do imperador e não poder adorar aos deuses do império. E foi isso que aconteceu com são Sebastião. E Jesus previne os discípulos que isso poderia acontecer com eles, e aconteceu, e acontece ainda hoje.”

Destacando a realidade atual onde muitos cristãos tem sofrido perseguição por conta da fé, o Arcebispo destacou: “Ainda hoje, há tanta gente que é perseguida por causa de Jesus Cristo, ainda hoje nesse mundo de meu Deus, há tanta gente que precisa dá a vida pela causa de Jesus Cristo. Países ainda não se abrem a liberdade religiosa. Existem países no mundo hoje, onde não se tem liberdade religiosa, onde ser cristão, ser católico pode significar sofrer por causa de Jesus Cristo, pode significar ser perseguido por causa de Jesus Cristo. Não foi só no começo do cristianismo que isso aconteceu, porque encontra-se fatos no mundo ainda, onde ser que o cristão hoje, pode exigir a vida até.  E os cristãos conscientes disso, mas nós cristãos olhamos para Jesus Cristo. Quando olhamos para Jesus Cristo, nós o encontramos crucificado, ressuscitado sim, por que ele está ressuscitado, ele está à direita do pai, ele está no meio de nós, ele olha por nós, ele é aquele que nos assiste. Mas ele morreu crucificado. Jesus diz que o discípulo não é maior que o mestre, quer diz, aquilo que aconteceu com o Mestre pode acontecer também com os discípulos.”

Ainda, em sua homilia, Dom Paulo apresentou o contraponto da perseguição que está na beleza do Evangelho: “Mas é bonito o que o evangelho diz, o evangelho nos dá a certeza de que o Senhor é aquele que nos assiste, que nos assiste na perseguição, que dizer, o Senhor não nos deixa sozinho, o Senhor não nos abandona, na perseguição, nos problemas, mesmo nas nossas tentações, o senhor não nos abandona, o senhor nos assiste, o Senhor nos sustenta, o Senhor nos dá a sua fortaleza. No primeiro oremos da missa nós pedimos isso, nós pedimos que ele nos der hoje também a fortaleza de São Sebastião. A fortaleza é dom do Espírito, é o que o evangelho diz: é o Espírito que vem em nosso socorro. E nós somos fracos, humanamente somos fracos, mesmo por mais domada que esteja a nossa vontade, nós somos fracos. Quando a coisa fica difícil vem o medo, e humanamente a gente esmorece, pode esmorecer, mas Deus é aquele que vem ao nosso encontro, e vem ao nosso socorro e nos fortalece, fortalece a nossa vontade, e fortalece a nossa decisão, e fortalece os nossos sentidos e vem ao encontro de nós com a graça, com o seu amor, com o seu Espírito.

Por fim, Dom Paulo Cezar ainda exortou os fiéis a terem certeza de que não estão sozinhos, Cristo nos acompanha: “Amados e amadas de Deus, é a certeza de que não estamos sozinhos, que na nossa caminha de fé, também na nossa perseverança do dia a dia, o Senhor é aquele que está conosco, o Senhor é aquele que caminha conosco. Mas não só caminha conosco, o Senhor vem ao nosso encontro, o Senhor vem ao encontro da nossa limitação, o Senhor vem ao encontro da nossa fraqueza, o Senhor vem ao encontro do nosso medo, o senhor vem ao nosso encontro. Lembrar que é preciso que nós peçamos esse dom, o dom da fortaleza, para obter de São Sebastião, que o Senhor deu a São Sebastião, que nos dá também hoje […] não tenhamos medo! Não tenhamos medo de testemunhar Jesus Cristo, não tenhamos medo de testemunhar Jesus Cristo. Claro que ninguém que sofrer, mas quando se sofre por causa de Jesus Cristo, você traz no seu corpo um pouquinho da paixão de Cristo, você se identifica no seu caminho de fé um pouquinho com Cristo. Não tenhamos medo de testemunhar Jesus Cristo na vida do dia a dia, nas pequenas e grandes coisas, talvez esse seja o grande desafio nosso, talvez essa seja a grande força nossa no mundo, o testemunho das grandes e pequenas coisas. O testemunho no nosso mundo do trabalho, no seu ambiente de trabalho, o testemunho no seu ambiente de estudo, no seu ambiente de lazer, na sua vida do dia a dia, com as pessoas que convivem com você, talvez seja isso que seja pedido de nós hoje […]”

Ao fim da Celebração o Arcebispo agradeceu o zelo pastoral do Pároco na comunidade e animou os fiéis a continuarem a caminhar com alegria na Paróquia e na vida de fé. Além disso, os fiéis presentes puderam venerar a relíquia de São Sebastião que está sob os cuidados da Paróquia.

 

 

Com informações da Coordenação do CPP da Paróquia