Dom Sergio da Rocha preside Missa dos Santos Óleos na Catedral

Bispos, padres, diáconos, religiosos e fieis reuniram-se na Catedral Metropolitana de Brasília, na manhã desta Quinta-Feira Santa, 18/04, para celebrar a tradicional Missa do Santo Crisma, também conhecida como Missa dos Santos Óleos, Missa Crismal e Missa da Unidade.

A Solenidade foi presidida por dom Sergio da Rocha, arcebispo de Brasília e presidente da CNBB, e concelebrada pelos bispos auxiliares e padres de nossa Arquidiocese. E contou com a presença do arcebispo emérito de aparecida, dom Raimundo Damasceno, do cardeal dom José Freire Falcão, e do  bispo emétiro dom João Evangelista Terra.

A Missa do Santo Crisma acontece sempre na Quinta-Feira Santa e nela é realizada a renovação dos votos dos Sacerdotes e a benção dos Santos Óleos dos Catecúmenos e dos Enfermos e a Consagração do Santo Óleo do Crisma. Estes Óleos serão utilizados, ao longo deste ano, até a próxima Quinta-Feira Santa, na administração de sacramentos, como por exemplo, batismos, crismas e unção dos enfermos em todas as paróquias de Brasília.

O cardeal arcebispo deu início à Celebração com uma breve acolhida aos presentes e convidou a todos a vivenciarem aquele momento de comunhão e unidade enraizada e alimentada pela Comunhão Eucarística.

Dando início à homilia, dom Sergio louvou o Pai de Bondade e O agradeceu pelo infinito amor misericordioso dedicado a cada um de nós, relembrando a comunidade do sacrifício de Jesus. O arcebispo ainda convidou a todos a confiar a vida a Deus e a invocá-Lo nas horas mais difíceis de nossas vidas.

“Irmãos, somos convidados a reconhecer, não só hoje, nesta Eucaristia, mas a cada segundo de nossas vidas, como é grande o amor de Deus. De modo especial, queremos hoje expressar ação de graças pelo dom da Eucaristia, pela graça do sacerdócio, e pelos Santos Óleos, na certeza de contar com a mão misericordiosa, o braço poderoso do Senhor. Ele não nos abandona nenhum segundo e quando precisarmos, cada um de nós, pode invocá-lo, dizendo como o salmista disse hoje: “Tu é o meu Pai, Tu és meu Deus, Tu és o Rochedo onde encontro a Salvação”, assegurou.

Em sequência, dom Sergio citou a renovação das promessas sacerdotais que aconteceria em instantes e, aproveitou a ocasião para agradecer aos sacerdotes pela zelosa dedicação e narrou ainda sobre a árdua missão de ser sacerdote.

Após a homilia, os padres presentes renovaram os compromissos sacerdotais com a Igreja de Cristo e de obediência ao bispo diocesano. No ritual, dom Sergio fez três perguntas aos sacerdotes, que foram respondidas positivamente e audivelmente pela comunidade.

O rito de benção dos Santos Óleos teve início, de fato, somente após a oração da assembleia, quando três padres adentraram a Catedral, em cortejo, trazendo os Óleos em 3 grandes vasos, para serem abençoados – no caso dos óleos dos catecúmenos e dos enfermos – e consagrado – no caso do óleo do crisma.

Ao chegar ao altar, os padres apresentaram, a dom Sergio, os óleos que carregavam, dizendo, um por vez, na ordem em que chegaram: “Eis, o óleo para o Santo Crisma”, “Eis, o óleo dos Enfermos”, “Eis, o óleo dos Catecúmenos”.

Após uma breve oração, dom Sergio e os padres estenderam as mãos e abençoaram os óleos.

Vale destacar que para ser abençoado, o óleo precisa ser novo e a consagração deve ser feita pelo bispo. Em caso de urgência, os padres poderão realizar a consagração no dia do Sacramento, como afirma o Código de Direito Católico, o Cânon.

Cân. 999 – Além do Bispo, podem benzer o óleo a utilizar na unção dos doentes: 1.° os que por direito são equiparados ao Bispo diocesano; 2.° em caso de necessidade, qualquer presbítero, mas só na própria celebração do sacramento.

Atentamos também para a necessidade da renovação do óleo a cada ano. O que não for usado durante este período, deverá ser queimado, de acordo com as normas estabelecidas pelo Código Canônico. Quanto à conservação dos Santos Óleos, estes devem ser conservados dignamente, como menciona abaixo o Canon nº 847.

Cân. 847 – § 1. Na administração dos sacramentos em que se utilizam os santos óleos, o ministro deve utilizar óleos de oliveira ou extraídos de outras plantas, recentemente consagrados ou benzidos pelo Bispo, salvo o prescrito no cân. 999, n.º 2; e não utilize os antigos, salvo em caso de necessidade. § 2. O pároco peça ao Bispo próprio os santos óleos e guarde-os com diligência e decência.

Ainda durante a celebração, seminaristas, dividiram os Santos Óleos, contidos nos três vasos, em cerca de 600 pequenos vidros.

Os bispos auxiliares ficaram responsáveis por distribuir os vidrinhos com os Santos Óleos entre os representantes autorizados da Nunciatura; Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, CNBB; algumas casas e instituições religiosas; residências episcopais e para cada uma das 151 paróquias da Arquidiocese de Brasília.

De posse dos Santos Óleos, os bispos e padres poderão utilizá-los na administração dos sacramentos de acordo com a função e significado que cada um traz, como pode ser visto abaixo:

Óleo dos Enfermos 

Dá a saúde espiritual e corporal. É utilizado para o sacramento da Unção dos Enfermos, o Óleo dos Enfermos traz o conforto, a esperança e a força do Espírito Santo para que o doente passe pelo momento de sofrimento, combata a doença e, se for o caso, enfrente a morte com serenidade. O enfermo é ungido na fronte (testa) e na palma das mãos. Em algumas dioceses, este óleo é usado também para a benção de sinos. A cor que represente este óleo é roxa.

Óleo dos Catecúmenos

Catecúmenos são as pessoas que se preparam para receber o Batismo. E o Óleo Pré-Batismal, como também é conhecido, concede a força do Espírito Santo àqueles que serão batizados, a fim de que sejam lutadores, a serviço de Deus, contra todo e qualquer tipo de mal. Por esse motivo, na antiguidade cristão era chamado de óleo do exorcismo porque devia proteger o catecúmeno contra o demônio. Por isto, no rito do Batismo, a unção com este óleo é feita antes do Batismo. O catecúmeno é ungido com este óleo no peito. A cor que simboliza este óleo é vermelha.

Óleo do Crisma
É uma mistura de óleo de oliveira e bálsamo,que  significa a plenitude do Espírito Santo no cristão que deve irradiar o perfume de Cristo. Este óleo é usado nos sacramentos da Confirmação, ou Crisma, e Ordem. No sacramento da Confirmação, unge-se na fronte. Na Ordenação Presbiteral, passa-se o óleo nas mãos do novo sacerdote. Já na Ordenação Episcopal, unge-se a cabeça do novo bispo. Pode ser usado também na consagração das igrejas e dos altares. A cor que representa este óleo é o branco ouro.

Ao final da celebração, o arcebispo convidou a todos para a celebração do Jubileu de Ouro Sacerdotal do arcebispo Emérito de Aparecida, dom Raimundo Damasceno, que será celebrado na catedral, em junho deste ano, e ainda convidou os padres que irão fazer bodas de prata ou ouro de ordenação sacerdotal também este ano.

Após a benção final, dom Sergio e os bispos auxiliares receberam os cumprimentos e carinho da comunidade.

 

Missa de Lava Pés

Intensificando as preparações para a Festa da Páscoa, teremos na noite desta quinta-feira, na Catedral Metropolitana de Brasília, o Início do Tríduo Pascal, que é composto pelos três dias que precedem a solenidade de Páscoa. São eles: A Quinta-Feira Santa, a Sexta-Feira da Paixão e o Sábado de Aleluia.

Nesta Santa Missa, será celebrada a Instituição da Eucaristia e do Sacerdócio, com o rito do Lava-pés, onde o celebrante lavará os pés de algumas pessoas para simbolizar o ato de Cristo com os apóstolos.

Venha celebrar conosco e alcançar a sua graça nesta Páscoa!

 

Clique aqui e veja as fotos da celebração.

 

Veja abaixo a programação da Semana Santa na Catedral Metropolitana de Brasília

Semana Santa na Catedral

18/04 – Quinta-Feira Santa

09h – Missa do Crisma (Santos Óleos) – Presidia pelo cardeal Sergio da Rocha, bispos auxiliares e todo o clero de Brasília

– Início do Tríduo Pascal

20h – Missa Vespertina da Ceia do Senhor – Lava Pés – Presidida pelo cardeal Sergio da Rocha

19/04 – Sexta-Feira Santa

15h – Celebração da Paixão do Senhor – Presidida por dom Sergio.
Adoração a Santa Cruz e a Via Sacra com as imagens de Jesus morto e Nossa Senhora das Dores.

20/04 – Sábado Santo

20h – Vigília Pascal – Presidida pelo cardeal Sergio da Rocha e bispos auxiliares

21/04 – Domingo de Páscoa

10h30 – Santa Missa da Ressurreição do Senhor

18h – Santa Missa da Ressurreição do Senhor

 

Feliz Páscoa!!

Que a alegria de Cristo ressuscitado esteja sempre entre nós!

Aleluia! Aleluia! Aleluia!

Foto: Cristina Lima

Por Gislene Ribeiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *