Dom Sergio preside Missa em ação de graças pelos trabalhos deste ano realizados pelo MESCE

Cerca de 6 mil Ministros Extraordinários da Sagrada Eucaristia, MESCE, reuniram-se na manhã deste sábado, 01/12, na Catedral Metropolitana de Brasília para render graças a Deus pelos trabalhos e ações pastorais realizados ao longo deste ano de 2018 durante a Santa Missa presidida pelo arcebispo dom Sergio da Rocha.

A Celebração foi concelebrada pelo bispo auxiliar referencial dos MESCE, dom Marcony Ferreira e pelo padre Paulo Sergio Casteliano, diretor espiritual dos Ministros.

Durante a homilia, dom Sergio ressaltou a importância e o valor do trabalho realizado pelo MESCE na Igreja, fazendo menção ao Evangelho do dia.

“Nós acabamos de ouvir a Palavra de Deus, onde recordamos no Evangelho o sim de Maria. ‘Eis aqui a Serva do Senhor’. Essa atitude está no coração e na vida de quem está à serviço da Igreja, à serviço do Senhor, à serviço do povo de Deus. Ao longo do ano, cada vez que vc está prestando serviço, Ministro, você esta repetindo o seu gesto de Nossa Senhora, dizendo ‘Eis aqui o servo, a serva ou o servo do Senhor’. Eu sempre recordo que o gesto de Maria, ao visitar Isabel, não foi apenas o gesto de caridade, de compaixão, de solidariedade, é um gesto missionário. Ela entra naquela casa, como os ministros, trazendo Jesus ao coração e à vida do povo que está dentro da Igreja, participando da missa, como vai ao encontro dos irmãos, nas mais diferentes situações, para levar a presença Jesus, a Palavra de Deus, e principalmente a comunhão aos doentes. Nós bendizemos a Deus, porque se realizamos isso é pela Graça de Deus, pelo amor, pela misericórdia de Deus, que somos capazes de servir aos irmãos, como fez Nossa Senhora”, enfatizou o arcebispo.

Apesar de todos os empecilhos encontrados para servir à Cristo, dom Sergio pede que os ministros nunca desistam da missão de anunciar o Evangelho e levar Cristo Evangelho a todos.

“Às vezes, nós dizemos sim, como fez Maria, diante de muitos desafios, dificuldades e provações. E até Nossa Senhora questionou ao anjo: ‘Como pode acontecer isso?’ E o anjo respondeu aquilo que o próprio Deus nos diz sempre que prestamos serviço à Igreja: ‘Não temas’. Por mais que seja desafiador, os ministros tema a graça de receber o Senhore ser instrumento para que Ele chegue a todos os irmãos. E isso é uma graça muito grande. Não desanime jamais neste serviço de vivenciar o ministério da Comunhão”, pediu.

Para concluir, o cardeal convidou os ministros a sempre repetirem o gesto de Nossa Senhora, em suas vidas, nas paróquias e ações pastorais.

“Os Ministros são sempre convidados a repetirem o gesto de Maria e a ser como aquela que louva, que reconhece a presença de Deus na própria vida. Os ministros devem ainda dar testemunho de comunhão, unidade, respeito, amor fraterno, dialogo e perdao em todos os ambientes, em casa, na Igreja, no trabalho, na família”, finalizou.

Rezemos todos pelo crescimento do empenho de operários comprometidos com a causa do Evangelho.

 

Ministério Extraordinário da Sagrada Comunhão Eucarística

Na Arquidiocese, compete ao Arcebispo instituir os Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão Eucarística, realizando esta ação pessoalmente ou através de seus auxiliares.

A indicação do candidato ao MESCE pode ser feita pela comunidade ou diretamente pelo pároco. A etapa seguinte é se apresentar ao Arcebispo, solicitando o seu credenciamento por escrito conforme formulário próprio.

Os seguintes critérios devem ser observados, como pede as Diretrizes Gerais para o reto desempenho do Ministério Extraordinário da Sagrada Comunhão Eucarística e outros documentos da Igreja:

– Pessoas idôneas e especialmente escolhidas para tal ministério; recomenda-se a escolha de pessoas de idade madura. (FC 1 e 5; IC 1, I; CDC Cân. 228);

– O candidato deve ter participação ativa e ser bem aceito na comunidade;

– Que tenha condições e queira preparar-se para tal ministério (CDC Cân. 231 § 1). Que tenha ainda  grau de cultura suficiente para se comunicar e exercer bem a sua missão;

– Deve distinguir-se pela sua boa reputação, seu modo cristão de viver e sua fé;

– Caso seja casado(a), é importante que conte com o apoio e consentimento do(a) cônjuge.

– A idade para o início do mandato é 21 anos e não há limite para a idade de afastamento.

Após aceitar o convite, os candidatos apresentados devem frequentar a preparação exigida pela Arquidiocese, sem a qual não poderão exercer a função de MESCE.

O curso é realizado em três dias, em fins de semanas alternados. No quarto dia acontece a Missa de Investidura onde o futuro ministro recebe as vestes e o mandato e a partir daí pode exercer o trabalho como Ministro da Eucaristia.

O mandato tem validade de um ano tendo de ser renovado anualmente. As formações permanentes, onde são renovados os mandatos, acontecem também duas vezes no ano.

A atividade desempenhada pelo MESCE é a distribuição da Sagrada Comunhão  dentro da Celebração Eucarística e para os doentes em suas residências ou hospitais. Podem ainda exercer outras funções de acordo com as necessidades e solicitações e autorizações do pároco e determinações da Arquidiocese.

Atualmente a Arquidiocese de Brasília possui cerca de 7 mil ministros distribuídos em todas as paróquias do Distrito Federal.

 

Clique aqui e veja as fotos do evento.

 

Por Gislene Ribeiro

2018-12-01T11:21:57-02:0001/12/2018|