DOMINGO DA MISERICÓRDIA

Um domingo com o intuito de derramar o Amor da Cruz e converter os corações, assim é a festa proposta pelo Papa João Paulo II. O Domingo da Misericórdia é celebrado no segundo domingo da páscoa, favorecendo ao povo uma reflexão direta e cativante da misericórdia de Deus.

No ano de 2020, O Papa João Paulo II, anunciava com grande fervor essa festividade, onde a base mística do dia, está no diário de Santa Faustina, reconhecida depois como Apostola da Misericórdia: “desejo que a festa da Divina Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores” (N1588).

Na oração do dia da Misericórdia, a Igreja clama a Deus para reacender a Fé do povo. Esse é o projeto de Deus diante do Enviado da Misericórdia. Nesse Âmbito, há diversas bibliografias do magistério que, vão nos ajudar a caminhar, como, também, é possível encontrar nas sagradas Escrituras, textos que demonstram claramente como é grande a Misericórdia de Deus.

No Antigo testamento “Hesed” é um dos termos que desenvolve a Misericórdia. Tem como significado: amor constante; fidelidade; benevolência; ensinando que, mesmo ante da Encarnação do Amor, o Amor já era derramado sobre a Igreja. Já no Novo Testamento, há termos que são sinônimos da Misericórdia, como: Piedade e compaixão, que vão ter como significado amplo. Ter misericórdia é amar o próximo com compaixão, exercendo o perdão para com o outro com humildade generosa.

Já na Etimologia, a misericórdia tem dois termos ricos: Miserere (Compaixão) e Cordis (coração), que somando os significados temos “Coração compadecido”. Sentir a dor do próximo é uma das características daquele que exerce a Misericórdia (Mt 5,7). Por isso, que na carta Encíclica “Dives in Misericórdia”, Papa João Paulo II fala: “A Misericórdia significa a especial força do Amor, que prevalece sobre o pecado e sobre a infidelidade do povo eleito.”

Uma maneira concreta de vivenciar a Misericórdia, nos dias atuais,  está no Sacramento da Confissão ou Reconciliação, onde no Evangelho proposto para este dia, Jesus concede aos seus escolhidos o poder de perdoar os pecados, e dessa forma concretiza o maior gesto dado aos padres, o poder de apagar o pecado, ou melhor, iluminar a vida do penitente que se arrepende do pecado, esse é a Justiça de Deus, feita com imenso amor para com os seus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *