ESTENDE A TUA MÃO!

Estimado amigo leitor, na cadência da História, se alguém ou alguma coisa te faz pensar que Jesus Cristo não cuida de ti, não acredites! Sabes que, no decorrer de nossas vidas, enfrentamos primaveras e outonos, dias de sol e dias de chuva, dias de bonança e dias de temporal, mas tudo isso é parte integrante de nossa existência. Se porventura sentires chegar o outono, os sofrimentos e as dificuldades, quero que saibas que “quando Deus Pai intervém com o Seu Espírito, o caos transforma-se em cosmo, no mundo acende-se a vida, e a história põe-se novamente em caminho”. (Papa João Paulo II, “L’osservatore Romano nº 20”).

Em Cristo e por Cristo, somos chamados a caminhar nas diversas fases da vida, correspondendo ao amor de Deus e vivenciando, em plenitude, a virtude teologal da fé. Ter fé é saber acreditar, mesmo quando tudo e todos nos levam a não crer! Ter fé é professar que Deus nunca abandona aquele que n’Ele confia!

Nunca te esqueças de que Jesus Cristo está vivo e ressuscitado; Ele atua no presente e transforma as nossas vidas! Ele nos adverte que ter contrariedades, enfrentar doenças e sofrimentos é algo que pode acontecer a qualquer um de nós, mas Ele também balbucia, em nossas almas, a certeza de fé que nos diz que “os sofrimentos do tempo presente nada são em comparação com a glória que se há de revelar em nós!” (Rm 8,18). A todo o momento, nosso amado Salvador nos diz: “Eu renovo todas as coisas!” (Ap 21,5)

Na vivência cotidiana da fé, diante dos contratempos e das intempéries que a vida nos apresenta, muitos que se dizem fiéis retrucam, afirmando: “O Senhor abandonou-me, o Senhor esqueceu-Se de mim!” (Is 49,14). Amparados no amor de Deus, testemunhemos  que “tudo é possível para quem crê!” (Mc 9,23).

Segurando firmemente nas mãos de Nossa Senhora, a Virgem fiel, saibamos conduzir os nossos familiares, amigos e as pessoas próximas que vacilam na fé à presença transformadora de Jesus Cristo. Digamos a eles, com renovada esperança: Tende confiança! Abandonai-vos nas mãos providentes de Nosso Senhor Jesus Cristo! E assim como os apóstolos, diante da incredulidade de Tomé, professemos: “Vimos o Senhor!” (Jo 20,24). Com amor, deixemos que Cristo lhes fale: “Põe teu dedo aqui e vê Minhas mãos! Estende tua mão e põe-na no Meu lado e não sejas incrédulo, mas crê!” (Jo 20, 27).

Muitos pensam que ter fé é lançar-se no escuro. Ao contrário, ter fé é lançar-se nas mãos providentes de Deus, crendo que Ele sabe o que é melhor para nós, e, por isso, eu gostaria de te pedir, em nome da Igreja: Não limites teu crescimento na vida da fé! Não te contentes em fazer o mínimo em termos de vivência da fé, quando Cristo te dá todas as condições para viveres uma fé madura e adulta! Pondera em tua alma os ensinamentos do profeta, que te diz: “Sem firme confiança, não vos firmareis!” (Is 7,9).

Deixa que penetrem, no fundo de tua alma, as sábias palavras que te são ditas pelo nosso amado São João Paulo II: “A Igreja precisa de testemunhas autênticas para a nova evangelização: homens e mulheres cuja vida seja transformada pelo encontro com Jesus; homens e mulheres capazes de comunicar esta experiência aos outros. A igreja precisa de santos. Todos somos chamados à santidade, e só os santos podem renovar a humanidade”. (Mensagem do Papa João Paulo II para a XX JMJ).

Amigo leitor, somente à luz da fé,  poderás bradar que esse mundo tem jeito; afinal, nós confiamos em Deus! Ele é o nosso Porto Seguro que nos abriga em meio aos vendavais! Ele é o Farol que faz resplandecer a convicção da fé em meio às constantes investidas das trevas! Ele é a Casa edificada sobre a rocha que permanece firme, mesmo em meio aos tremores que podem ser causados pelo medo de uma pandemia! Ele é o nosso Deus amado e adorado que nos leva a suplicar quando parece que tudo vai desfalecer: “Senhor, aumenta-nos a fé!” (Lc 17,5)

Para concluir, caro amigo de fé, quero ainda te pedir: Não te deixes levar pelas heresias que corrompem a verdadeira fé! Recorre à orientação espiritual e, junto a um sacerdote, encontra respostas aos teus questionamentos de fé! Contempla a profundidade da vivência da fé dos Apóstolos, de inúmeros santos, de Nossa Senhora e do próprio Cristo! Abre-te, corajosamente e sem reservas, à fecunda experiência pessoal da fé! Olha para a Virgem fiel e aprende com ela que ter fé é saber dizer: “Faça-se!”.

Dize com coragem aos teus contemporâneos que estão afastados de Deus e da Igreja: “O Eu Sou enviou-me a vós!” (Ex 3,14). Professa com entusiasmo: Eu creio que Deus existe e, por isso, mesmo que um tsunami abale a minha vida, continuarei professando que “ser cristão é sempre o resultado de uma virada da existência humana que se afasta da autossatisfação da vida desatenta para converter-se!” (Cardeal Joseph Ratzinger, “Introdução ao Cristianismo”). Com fé, abandona-te nas mãos providentes de Deus, na certeza de seres compreendido, ajudado, amado e confortado!

 

Aloísio Parreiras

2020-07-05T16:21:19-03:0005/07/2020|