Festa de Corpus Christi 2022 reúne mais de 60 mil fiéis na Esplanada dos Ministérios

Três anos depois da última festa de Corpus Christi ser celebrada na Esplanada dos Ministérios, uma multidão de mais de 60 mil fiéis voltou a se reunir no centro de Brasília para a cerimônia que relembra a instituição da Sagrada Eucaristia. A festa de Corpus Christi é celebrada pela Igreja Católica desde o século 13, dois meses depois da Páscoa. A festa ocorre em Brasília desde 1961 e na Esplanada dos Ministérios desde 1978, apenas nos últimos 2 anos não houve a grande celebração. Por causa da pandemia as solenidades foram reservados às Paróquias.

A estudante Laura Meneses, 17 anos, chegou cedo para a confecção dos tradicionais tapetes. Depois ajudou a dobrar e distribuir os folhetos da Santa Missa. As quase 12 horas de serviço valeram à pena. Integrante do Movimento Escalada de Brasília, ela disse que foi emocionante e prazeroso montar o um dos 25 tapetes por onde passaram os bispos e padres. Ela tem certeza que Deus esteve sempre dando força para conseguir terminar tudo o que tinha para fazer.

 

No começo da tarde, dezenas de padres atenderam as confissões dos fiéis que quiseram se preparar para receber a Eucaristia. Antes da celebração, a animação ficou por conta do Frei Flávio, do Padre Cristiano e da banda Maranata. Também houve um momento de oração e reflexão, foram lembradas as vítimas da covid -19 e como é importante a comunidade voltar a se reunir.

 

A Celebração Eucarística começou no fim da tarde com a procissão de entrada do clero saindo  da Catedral de Brasília até o altar montado no centro da Esplanada. A missa foi presidida pelo Arcebispo de Brasília, Dom Paulo Cezar, e concelebrada pelo seu bispo auxiliar, Dom José Aparecido, e mais de 250 padres.

Dom Paulo iniciou a homilia lembrando que celebrar o Corpus Christi é manifestar publicamente a nossa fé naquilo que é o centro da nossa fé, a presença de Jesus Cristo no pão e no vinho consagrados. Que são três aspectos essenciais da Eucaristia,  ela é mistério crido, mistério celebrado e mistério vivido. Por fim, o Arcebispo ressaltou que em cada Eucaristia nós fazemos memória da morte e ressurreição de Cristo e celebramos a nossa identidade de Novo Povo de Deus, uma eterna aliança.

 

A jornalista Lívia Vilela, 37 anos, foi um das 490 Ministro Extraordinários da Sagrada Comunhão Eucarística, e pela  primeira vez serviu na missa de Corpus Christi. Ela ficou emocionada ao ver a procissão saindo da Catedral em direção ao palco.  E ressaltou que mais emocionante foi servir a Deus como Mesce, ver os olhos das pessoas brilhando ao receber Jesus Eucarístico.

 

Acompanhado pelo tradicional mar de velas, Dom Paulo Cezar conduziu a procissão na Esplanada dos Ministérios no  papamóvel, que levava o Santíssimo Sacramento. “ Nossos corações já se encontravam ansiosos por esse momento de encontro com o Senhor e de encontro entre nós”.  Durante o percurso foram concedidas três bençãos: aos enfermos, aos poderes públicos e às famílias.

 

A Solenidade foi organizada pela Comissão de Corpus Christi coordenada pelos Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão Eucarística da Arquidiocese.

 

 

Reveja a gravação da Solenidade:

 

 

 

 

Texto Pascom Brasília

 

Leia também: