Festa de Nossa Senhora Aparecida – 2020

 

Em sua última carta enviada ao clero dia 23/09, Dom José Aparecido, administrador diocesano da Arquidiocese de Brasília, comunicou a decisão de não realizar, este ano, a tradicional festa de Nossa Senhora Aparecida na Esplanada dos Ministérios no dia 12 de outubro. Há 23 anos, a imagem da Santa começou a peregrinar pela Esplanada dos Ministérios, mas devido à situação de pandemia em que vivemos causado pelo COVID-19, a programação teve alterações.

A solenidade foi transferida para a Catedral de Brasília, onde haverá três missas ao longo dia. Na parte da manhã, às 9h00, a missa  será presidida por Dom José Aparecido; às 12h, a missa será presidida por Dom Joel Portella, secretário-geral da CNBB e às 18h00,  o celebrante é Dom Marcony, bispo Auxiliar de Brasília. A oração do Terço e o Ofício de Nossa Senhora cantado, será às 15h00.

Tendo em vista que a capacidade da Catedral é de 360 lugares,  será disponibilizado 120 lugares, respeitando o distanciamento social. Para participar das celebrações na Catedral, é preciso fazer o agendamento através do WhatsApp (61) 3224 4073 ou por e-mail: catedraldebrasilia@catedral.org.br.

Nas paróquias, também haverá programação em horário multiplicado, como acontece aos domingos, para que todo o povo fiel celebre o dia da Santíssima Mãe de Deus, Nossa Senhora Aparecida.

No vídeo, Dom José explica como será  as celebrações do dia 12 de outubro, veja:

 

Em preparação à festa da padroeira do Brasil e de Brasília, a Catedral de Brasília reza o novenário, iniciado dia 03/10 e vai até o dia 11/10.  Os horários são: de segunda a sexta às 12h15; sábado e domingo às 10h30.

Baixe a Novena completa aqui

 

Histórico

Desde 1717, quando a Imagem de Nossa Senhora da Conceição apareceu nas redes de três pescadores, às margens do Rio Paraíba, a devoção à Mãe de Deus sob o título de Virgem Aparecida é cada vez maior, expressando a grande confiança que o povo brasileiro tem na mediação maternal de Maria junto a seu filho Jesus Cristo.

Essa devoção tornou-se tão forte em todo o País que, em 8 de setembro de 1904, por ordem do Papa Pio X, a Imagem foi solenemente coroada e proclamada como Rainha do Brasil. A partir de então, a Imagem passou a usar oficialmente a coroa ofertada pela Princesa Isabel, em 1884, e o manto azul-marinho. O título foi confirmado mais tarde, em 1930, quando o Papa Pio XI proclamou a Virgem Aparecida Padroeira do Brasil. Ao longo desses anos são inúmeras as graças e milagres concedidos por Deus em favor do povo brasileiro mediante a intercessão de Maria Santíssima.

Nossa Senhora foi também escolhida para ser Padroeira de Brasília, ainda à época da construção da cidade, uma vez que a devoção à Virgem sintetiza muito bem a fé de todas as pessoas que para cá vieram. A Imagem de Nossa Senhora Aparecida chegou aqui no dia 3 de maio de 1957, após ter visitado todas as capitais brasileiras.

EM BRASÍLIA

Vinte e três anos de peregrinação

A Arquidiocese de Brasília sempre celebrou a festa de Nossa Senhora Aparecida.  Até a inauguração da Catedral de Brasília, as celebrações  ocorriam nas paróquias e em destaque na paróquia Santo António. Em 1970 com a inauguração da Catedral a celebração de maior destaque se dava na mesma.

Até 1996, as missas da Padroeira do Brasil e de Brasília, Nossa Senhora Aparecida, eram realizadas dentro da Catedral Metropolitana. De lá para cá, a imagem da Santa começou a peregrinar pela Esplanada dos Ministérios, sempre nos dias 12 de outubro. E é assim há 23 anos.

O primeiro público de uma missa de Nossa Senhora Aparecida fora do templo somava cinco mil pessoas, como relata Dom Marcony, que era pároco da Catedral na época e hoje é Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Brasília.

“Antes, era só uma missa. Quando eu entrei, em 1996, começamos a colocar Nossa Senhora para fora. Eu fazia uma missa para as crianças, de manhã; e, na parte da tarde, Dom Falcão celebrava na Catedral e a gente saía em procissão. Em 1997, a missa foi onde hoje é o estacionamento da Cúria e tinham lá cinco mil pessoas, que não caberiam dentro da Catedral”, conta Dom Marcony, ao relembrar dos tempos que Dom Falcão era arcebispo da capital.

Mesmo com as missas fora do templo, as celebrações eram muito simples. Rezava-se a Santa Missa e, em seguida, lá ia a Virgem Aparecida em procissão, acompanhada dos fiéis e de um carro de som, pelas ruas do centro do poder. Foi somente a partir de 1999 que foi montada a grande estrutura como se conhece hoje e foi, de fato, realizada a primeira missa na Esplanada. “Dom Falcão me deu o aval e fizemos a primeira missa ali no centro”, conta Dom Marcony.

Desde então, o primeiro momento da celebração é reservado às crianças, que coroam Nossa Senhora. Depois, vem à catequese e os brinquedos infláveis para que os pequenos também possam comemorar o seu dia com a mãe e senhora Aparecida.

Os jovens foram inseridos logo na programação e, até hoje, são responsáveis por encenações na Esplanada em louvor à mão de Deus. A oração do Ofício de Nossa Senhora sempre ficou com o Apostolado da Oração e a Legião de Maria. E o Rosário com os movimentos da Igreja. “Esta festa sempre juntou todo mundo para rezar”, lembra o Bispo Auxiliar.

E é a partir das 17h que se reúne todo o povo para participar da Santa Missa, sempre presidida pelo Cardeal. Depois da celebração, Nossa Senhora segue peregrina, em procissão, pela Esplanada. Como há 23 anos.

 

2020-10-05T10:00:29-03:0004/10/2020|