Igreja em Brasília recorda o terceiro ano de falecimento de Dom Francisco de Paula Victor

Neste domingo (21), a Igreja Católica em Brasília recordou o terceiro ano de falecimento de Dom Francisco de Paula Victor que foi bispo auxiliar da Arquidiocese e fez sua Páscoa em 2018. A Missa das 10h30 da manhã, na Catedral Metropolitana de Brasília, foi celebrada em sua intenção.

 

Dom Francisco de Paula Victor, filho de Antônio das Chagas Pereira Júnior e de Francisca Lopes Gonçalves, nasceu em 11 de novembro de 1935, na cidade de Paraisópolis, em Minas Gerais.

Ingressou na Congregação dos Irmãos Maristas, na cidade do Rio de Janeiro, fazendo a primeira profissão em 1951 e os votos perpétuos em 1957. Era formado em Química pela Universidade Federal de Minas Gerais, em Filosofia na Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma. Especializou-se em Mariologia no Pontifício Instituto Marianum. Exerceu um trabalho missionário em Moçambique, África, por 10 anos, a serviço da Província Marista de Portugal. De volta ao Brasil, exerceu os cargos de Professor de Filosofia e Teologia, Mestre de Postulado e Juniorato (Escolasticado Marista) e Vice-Provincial, na Província Marista do Rio de Janeiro. Foi Presidente da Conferência Regional dos Religiosos, professor da Universidade Católica e no curso Superior de Teologia, em Brasília.

Ordenado sacerdote em 1º de dezembro de 1990, com 55 anos, pela Arquidiocese de Brasília, exerceu a função de pároco da paróquia Santa Maria dos Pobres, no Paranoá, até janeiro de 1996. Também nessa época foi professor no Seminário Maior da Arquidiocese de Brasília e trabalhou como auxiliar na Nunciatura Apostólica do Brasil. Ordenado bispo 26 de outubro de 1996, aos 61 anos, pelas mãos do cardeal dom José Freire Falcão, acolhendo o lema: “Humilibus Consentire” – Solidário com os Humildes –, cumpriu a missão episcopal até o ano de 2011, quando completou 75 anos e apresentou carta de renúncia, como estabelece o Canôn, ao na época, Papa Bento XVI, que aceitou o pedido.

Dom Francisco vivia na Casa do Clero, em Brasília, onde recebia cuidados especiais por conta das sequelas resultantes de um grave derrame cerebral, sofrido 20 anos antes de sua Páscoa, que paralisou as funções motoras dele, além de prejudicar a fala.