Missa do Crisma na arquidiocese de Brasília

Na manhã da quinta-feira santa (01), foi celebrado na Catedral de Brasília, a Missa dos santos óleos, também é conhecida como Missa da Unidade. Devido à pandemia da Covid-19, a celebração não foi aberta ao público e foi transmitida pelas mídias sociais da arquidiocese, Rádio Nova Aliança e pela TV Canção Nova.

A missa foi presidida pelo arcebispo da arquidiocese de Brasília, Dom Paulo Cezar, e concelebrada por seus auxiliares: Dom José Aparecido e Dom Marcony; Dom Terra – bispo emérito de Brasília; Cardeal Dom Damasceno – Bispo emérito de Aparecida; Dom Joel Portella –  bispo-auxiliar da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro e secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil; Dom Fernando Guimarães – arcebispo do Ordinário Militar do Brasil; Dom José Francisco Falcão – auxiliar do Ordinário Militar do Brasil; padres de Brasília, religiosos e religiosas, seminaristas, diáconos o povo fiel.

Durante a Celebração, foram abençoados os óleos dos catecúmenos e dos enfermos e se consagra o óleo do Santo Crisma. Por isso, é chamada de Missa dos Santos Óleos. Também nessa celebração, os presbíteros renovaram as promessas sacerdotais.

Na homilia, Dom Paulo fala aos padres que “esta celebração é cheia de significados para todos nós. Encontramo-nos ainda num tempo difícil, onde tantas vidas estão sendo ceifadas pela covid-19. Contexto difícil, desafiador para a vida de nossos amados presbíteros, para a vida do nosso povo, para a vida de todos nós!”

É da nossa configuração a Cristo, bom pastor, destaca o arcebispo de Brasília,  que provenha a nossa caridade pastoral. Participação na mesma caridade de Cristo, dom gratuito do Espírito. Santo e, ao mesmo tempo, missão e apelo a uma resposta livre e gratuita. Jesus na sinagoga de Nazaré, nos indica este caminho de pastor bom belo. A sua unção exalou durante todo o seu mistério. Cristo ungiu com óleo da cura, do anúncio do reino, da libertação do poder do demônio, do acolher as pessoas, ungiu com óleo da misericórdia. O presbítero também, a exemplo de Cristo, tem que ungir o povo fiel e santo de Deus. Para batizar, para confirmar, para curar e consagram, para abençoar, para consolar e evangelizar.

Finalizando sua homilia, Dom Paulo fala ao clero: “daí a pouco meus queridos padres, amados e amadas de Deus, abençoaremos o óleo dos catecúmenos e dos enfermos e consagremos o santo Crisma. Esses óleos serão usados na administração dos sacramentos. Quero que este gesto simbolize, a nossa comunhão presbiteral. Esse gesto mostra que a nossa comunhão se fundamenta nas coisas santas. Em Deus. Fonte de tudo.”

Ao final da celebração, dom José Aparecido, bispo auxiliar de Brasília, disse ao arcebispo que “[…] agradeço o seu ministério, pela sua generosa doação, por ter acolhido o convite do Santo Padre a presidir essa igreja que é muito amada e muito amorosa. Unindo-me ao sentir comum do povo agradecer, a sua presença amável e amorosa no nosso meio. Do seu vigor bastante juvenil no seu trabalho apostólico, e a sua entrega no conhecimento dos nossos padres.”

 

Leia também:

 

2021-04-02T17:25:18-03:0002/04/2021|