O ZELO LITÚRGICO DE SÃO PIO X.

Com o lema “Restaurar tudo em Cristo”, o Papa Pio X governou a Igreja de
1903 a 1914, distinguindo o seu pontificado por um programa de renovação e de
reformas litúrgicas. Demonstrando uma plena confiança no Espírito Santo e afadigado
pelo abandono da fé e pela veemente defesa da guerra por parte dos países europeus, Pio
X buscou constantemente aprimorar e favorecer a formação catequética, o
conhecimento da Palavra de Deus e a participação litúrgica.
Em sua primeira Encíclica, São Pio X afirmou: “Se em cada cidade, se em cada
vila se preencher fielmente a lei do Senhor; se houver respeito pelas coisas sagradas, se
houver frequência aos sacramentos, se forem observados tudo o que pertence ao viver
cristão, não será mais necessário, veneráveis irmãos, que nos afadiguemos mais do que
isso para ver tudo restaurado em Cristo”. (E Supremi apostolatus, nº 34).
Buscando restaurar tudo em Cristo, no terceiro mês de seu pontificado, Pio X
tornou público o Motu próprio Tra le sollecitudini, com o objetivo de restaurar o canto
gregoriano e de renovar a música litúrgica. É deste período a sua célebre frase: “Não
devemos cantar e rezar na Missa, mas cantar e rezar a Missa”.
Servindo-se das obras eucarísticas que foram instituídas no século XIX –
Congressos Eucarísticos Internacionais, as Horas Santas e a prática da adoração
reparadora -, Pio X promoveu uma pastoral eucarística renovada. Deste modo, em 1905,
ele promulgou o Decreto Sacra Tridentina Synodus, fomentando a prática da Comunhão
frequente.
Nesse Decreto, ele afirmava: “A Comunhão frequente e cotidiana deve ser
estimulada o mais possível nos Seminários da Igreja, como também em todos os
estabelecimentos católicos de educação da juventude”. Demonstrando a clara percepção
de que as crianças são também chamadas à vivência de Igreja, por serem os prediletos
do Senhor, em 1910, por meio do Decreto Quam Singulari, Pio X permitiu e propagou a
admissão das crianças à Primeira Comunhão em tenra idade.
Nesse Decreto, ele orientava: “Todos aqueles que se dedicam às crianças se
empenharão com todo o zelo por fazer que, após a Primeira Comunhão, elas se
aproximem frequentemente da Sagrada Mesa ou, se possível, todos os dias, como o
desejam Cristo e nossa Mãe a Santa Igreja, e que o façam com toda a devoção de que
são capazes em sua idade”. Um pouco mais tarde, em 1911, Pio X publicou a
Constituição Apostólica Divino Affanti, sobre a revalorização da liturgia dominical,
declarando: “Quero que o meu povo reze com uma bela liturgia!”.
Por tudo aquilo que realizou em prol da maior participação dos fiéis nos
mistérios da fé eucarística e na participação da Liturgia, o Papa Pio X é para cada um de
nós um belo exemplo de iniciativas de valorização do sacramento da Eucaristia e de
cuidados com a catequese que é oferecida às crianças. Ainda hoje, seus ensinamentos
evidenciam a necessidade de conservar e difundir a boa doutrina a respeito da Eucaristia
e da Liturgia. Queira Deus que os pais se inspirem nos ensinamentos do Papa da
Eucaristia e cuidem com zelo do aprimoramento e crescimento da fé eucarística por
parte de seus filhos. Queira Deus que os bons livros da fé cristã e o Catecismo da Igreja
Católica jamais fiquem esquecidos nas estantes dos lares cristãos. Ainda hoje, Pio X nos

questiona: Como você tem vivido o zelo eucarístico? O seu conhecimento de Liturgia é
fecundo e profundo? Quais são as iniciativas de renovação da piedade eucarística que
você tem aplicado em seu dia a dia?
Assim como Pio X, diante das possibilidades das guerras, do crescimento da
violência, das ameaças terroristas, da propagação de terríveis doenças, da expansão do
materialismo e do hedonismo, mesmo nos ambientes adversos, nós devemos sustentar
nossas convicções católicas e aprimorar nossa confiança em Jesus Eucarístico,
cultivando e propagando as certezas da nossa fé, nosso maravilhar perante o Sublime
Sacramento e nossa comoção interior diante da grandiosidade da vida nova que a
Eucaristia nos concede.
Inspirados pelo zelo litúrgico de São Pio X e amparados pela Virgem Santa
Maria, Mulher Eucarística, nós aprendemos que se tornar Eucaristia é reconhecer-se um
missionário que testemunha com incontida alegria as maravilhas que Deus opera em
nós; por conseguinte, é louvável que, inspirados nos apelos iniciais de Pio X, hoje e
sempre, inúmeros cristãos se reúnam em torno do Altar do Senhor para celebrar e
participar, cotidianamente, da Santa Missa, renovando na vida da Igreja as súplicas, a
adoração, o sacrifício e a plena entrega ao nosso Redentor.
São Pio X serviu e amou a Igreja, encorajando todos os fiéis a bradar nas
cidades, nas ruas e nas praças o apreço pela Liturgia e a certeza do prolongamento da
ação eucarística em suas vidas. Que São Pio X nos ajude a professar que a nossa prática
e amor pela Igreja são o mais puro reflexo da nossa vida eucarística que nos encoraja a
renovar todas as coisas, em plena união com o nosso Deus amado e adorado.
Que o Cristo Eucarístico nos fortaleça na santidade, para que possamos bradar
juntos com São Pio X: “Somente a doutrina de Jesus Cristo nos manifesta a verdadeira e
altíssima dignidade do homem, indicando-o como Filho do Pai que está nos céus, feito à
sua imagem e destinado a viver eternamente com Ele!”. (Encíclica Acerbo Nimis, nº 6).
São Pio X, rogai por nós e ajudai-nos, no serviço da Liturgia, a tratar das coisas santas,
santamente!

Aloísio Parreiras

2020-08-21T18:01:13-03:0021/08/2020|