Oito mulheres receberam a consagração perpetua na Ordo Virginum no último domingo (8/5)

No último domingo (08/05), Dom José Aparecido, Bispo Auxiliar de Brasília, presidiu a Santa Missa onde 8 mulheres fizeram sua consagração definitiva na Ordo Virginum (Ordem das Virgens) segundo o Rito de Consagração das Virgens. A celebração aconteceu na Catedral Metropolitana de Brasília às 10h30.

Fizeram a sua consagração perpétua: Ellen Surer da Costa Reis, Francisca Gontijo da Rocha, Joana D’arc Farias Sodré, Lucília Santiago de Toledo, Maria Helena dos Santos, Maria Icleia Ribeiro de Sales, Marta de Sousa, Meromelina Gonzaga de Souza

 

Em sua homilia, Dom José Aparecido destacou “a Igreja de Brasília se alegra pela entrega que vocês fazem do coração e da vida inteira de vocês. De uma vida entregue no solene amor esponsal ao Senhor publicamente. Vocês são chamadas a ser expressão orante da nossa Igreja e colaborar com o pastor, nosso Arcebispo, na intercessão pela Igreja e pelos padres.”

 

A origem da Ordo Virginum remonta aos tempos apostólicos, encontrando “uma manifestação totalmente peculiar na vida de mulheres que, correspondendo ao carisma nelas suscitado pelo Espírito Santo, com amor esponsal dedicaram-se ao Senhor Jesus na virgindade, para experimentar a fecundidade espiritual da relação íntima com Ele e dela oferecer os frutos à Igreja e ao mundo. Essa forma de vida evangélica apareceu de modo espontâneo nas diversas regiões nas quais se desenvolviam as comunidades eclesiais, constituindo um sinal evidente da novidade do cristianismo e da sua capacidade de responder às mais profundas questões acerca da existência humana.” (Ecclesiae Sponsae Imago, n. 1 e 2) 

“Característica dessa forma de vida é a inserção das consagradas na Igreja particular e, portanto, em um determinado contexto cultural e social: a consagração as reserva para Deus sem separá-las do ambiente em que vivem e no qual são chamadas a dar o próprio testemunho. Podem viver sozinhas, em família, com outras consagradas ou em outras situações favoráveis à expressão da sua vocação e à realização do seu projeto de vida concreto. Proveem o sustento com os frutos do próprio trabalho e os recursos pessoais.” (Ecclesiae Sponsae Imago, n. 37)