Orientação Pastorais da Arquidiocese de Brasilia para prevenção do CORONAVÍRUS

A Arquidiocese de Brasília vem reafirmar a necessidade de colaborar, com responsabilidade, para a prevenção do coronavirus (Covid 19) tomando as medidas necessárias, considerando as orientações e deliberações das autoridades de saúde pública. Por isso, até 03 de abril, estarão em vigor, no âmbito da Arquidiocese de Brasília, as seguintes orientações pastorais, algumas das quais já estavam em vigor:

1) Adiar os eventos pastorais programados reunindo grande número de pessoas; suspender os encontros de catequese e cursos de formação, assembleias, retiros, encontros pastorais e quermesses, para evitar aglomeração de pessoas.

2) Evitar celebrações de missas reunindo grande número de pessoas, especialmente em lugares fechados. Para tanto, algumas iniciativas tem sido adotadas: espaçar os bancos ou diminuir o número de cadeiras e programar um número maior de missas dominicais. As missas ao ar livre substituindo aquelas no interior das igrejas necessitam também dos devidos cuidados, pois não há comprovação da eficácia preventiva dessa iniciativa, além da necessidade de observar o decreto do Governo do Distrito Federal a respeito de eventos. Não realizar o “abraço da paz” e orientar os fiéis para receberem a comunhão na mão, nas celebrações eucarísticas. Desaconselha-se a utilização de folhetos litúrgicos. Os ministros extraordinários da sagrada comunhão que apresentarem sintomas de resfriado ou gripe não devem atuar nas celebrações. Dependendo da evolução do quadro do coronavirus (Covid 19) ou das determinações das autoridades competentes, a suspensão geral das celebrações poderá ser estabelecida para toda a Arquidiocese de Brasília, através de comunicado oficial.

3) O atendimento das confissões, neste período quaresmal, deve ser organizado de modo a evitar a aglomeração de pessoas. Portanto, ao invés dos “mutirões” para atendimento das confissões, seja organizando o atendimento em cada paróquia, de acordo com a sua realidade, adotando-se as medidas necessárias para preservar a saúde dos confessores e dos penitentes.

4) Redobrar os cuidados com a higienização dos templos e outros recintos paroquiais, disponibilizando álcool em gel para a higienização das mãos.

5) As pessoas com saúde debilitada, os idosos e enfermos, ficam desobrigados do compromisso de participar das missas dominicais (conforme o cân. 1248, parágrafo 2º, do Código de Direito Canônico). São convidados a permanecer em oração, em suas casas, através das missas transmitidas pelos meios de comunicação (rádio, TVs, redes sociais). Os que estão a serviço pastoral dos enfermos, nas casas ou hospitais, devem adotar os devidos cuidados para evitar a propagação do vírus, seguindo as orientações médicas e da Pastoral da Saúde.
No final do prazo estabelecido, estas medidas poderão ser prorrogadas. Os movimentos eclesiais poderão acrescentar outras medidas que considerarem necessárias para as atividades destinadas aos seus membros. Continuaremos atentos às orientações ou deliberações das autoridades competentes para adotar outras medidas que se fizerem necessárias, a serem comunicadas a todos pela Arquidiocese de Brasília.

Recomendamos, mais uma vez, máxima prudência em relação à veracidade das notícias ou informações divulgadas sobre o coronavirus, principalmente nas redes sociais, incluindo orientações pastorais atribuídas a bispos ou à CNBB.

Agradeço a atenção e os esforços de todos. Continuemos a rezar pela superação desta pandemia e, de modo especial, pelas vítimas e por aqueles que estão a serviço dos doentes. Nesta Quaresma, o tema da Campanha da Fraternidade, “Vida: Dom e Compromisso”, continue a iluminar as nossas ações, ajudando-nos a cuidar da vida com amor e responsabilidade, contando com a graça de Deus.

 

Brasília, 18 de março de 2020.
Cardeal D. Sergio da Rocha
Administrador da Arquidiocese de Brasília

2020-04-08T10:36:37+00:0018/03/2020|