PAPA FRANCISCO: UM DEVOTO DE NOSSA SENHORA APARECIDA

No ano de 2007, quando ainda era cardeal, por ocasião da V Conferência Geral
do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, Jorge Mario Bergoglio, na época
Arcebispo de Buenos Aires, conheceu o Santuário Nacional de Aparecida e ali presidiu
a Comissão que redigiu o texto conclusivo daquela Conferência. Desde então, por meio
de significados escritos, Bergoglio tem chamado a nossa atenção para a importância do
Documento de Aparecida, evidenciando sempre a importância de Nossa Senhora
Aparecida na história do Brasil.
Em julho de 2013, em sua viagem ao nosso país, por ocasião da Jornada
Mundial da Juventude, o Cardeal Jorge Mario Bergoglio, nos primeiros meses do seu
pontificado, tendo adotado o nome de Papa Francisco, esteve novamente no Santuário
Nacional de Aparecida, onde presidiu a Santa Missa e confiou à Padroeira do Brasil o
sucesso da JMJ Rio 2013. O pontífice retornou à casa de Maria e aproveitou para
realizar um momento de devoção própria àquela que é a Mãe da Igreja.
Naquela ocasião, ele nos disse: “Neste Santuário, seis anos atrás, quando aqui se
realizou a V Conferência Geral do Episcopado da América Latina e do Caribe, pude
dar-me conta pessoalmente de um fato belíssimo: ver como os Bispos – que trabalharam
sobre o tema do encontro com Cristo, discipulado e missão – eram animados,
acompanhados e, em certo sentido, inspirados pelos milhares de peregrinos que vinham
diariamente confiar a sua vida a Nossa Senhora: aquela Conferência foi um grande
momento de vida de Igreja. E, de fato, pode-se dizer que o Documento de Aparecida
nasceu justamente deste encontro entre os trabalhos dos Pastores e a fé simples dos
romeiros, sob a proteção maternal de Maria. A Igreja, quando busca Cristo, bate sempre
à casa da Mãe e pede: ‘Mostrai-nos Jesus’. É de Maria que se aprende o verdadeiro
discipulado. E, por isso, a Igreja sai em missão sempre na esteira de Maria”. (Homilia
do Papa Francisco em Aparecida, em 24 de julho de 2013).
Naquele dia 24 de julho do ano de 2013, um dia chuvoso, o Papa Francisco
passou entre o povo de papamóvel, acenou para os fiéis, os devotos de Nossa Senhora, e
beijou alguns doentes e algumas crianças. No interior da Basílica de Aparecida, o Santo
Padre testemunhou um sólido exemplo de fé e piedade mariana diante da imagem
histórica de Nossa Senhora Aparecida. Visivelmente emocionado, o Papa Francisco
consagrou o seu pontificado e suplicou pelo sucesso da JMJ.
Diante da imagem de nossa Padroeira, naquela ocasião, em sua oração, o Papa
Francisco exortou: “Assim, ó Mãe, como vós, eu abraço minha missão. Em vossas mãos
coloco minha vida e vamos, Vós-Mãe e Eu-filho, caminhar juntos, crer juntos, lutar
juntos, vencer juntos como sempre juntos caminhastes vosso Filho e Vós. Mãe
Aparecida, um dia levastes o vosso Filho ao templo para consagrá-Lo ao Pai, para que
fosse inteira disponibilidade para a missão. Levai-me hoje ao mesmo Pai, consagrai-me
a Ele com tudo o que sou e com tudo o que tenho. Mãe Aparecida, ponho em vossas
mãos e levai até o Pai a nossa e vossa juventude: quanta força, quanta vida, quanto
dinamismo brotando e explodindo e que pode estar a serviço da vida e da humanidade.
Finalmente, ó Mãe, vos pedimos: permanecei aqui, sempre acolhendo vossos filhos e

filhas peregrinos, mas também ide conosco, estai sempre ao nosso lado e acompanhai na
missão a grande família dos devotos, principalmente quando a cruz mais nos pesar.
Sustentai nossa esperança e nossa fé”.
Por meio de sua presença no Santuário Nacional de Aparecida e, principalmente,
mediante suas palavras, o Papa Francisco reacendeu em nosso íntimo a certeza de que a
Virgem Santa Maria caminha conosco pela senda da caridade e nos fortalece na
vivência cotidiana da fé, pois “quando o Bispo de Roma se faz também um romeiro de
Nossa Senhora, todos os romeiros se sentem confirmados na verdade da fé por Aquele
que preside na caridade todas as Igrejas, guiando a todos, com firme doçura, nos
caminhos da santidade”. (Discurso de acolhida de Dom Raimundo Damasceno ao Papa
Francisco).
Por tudo que vislumbramos com os olhos da fé, podemos hoje afirmar que a
visita pastoral do Papa Francisco ao Santuário da Padroeira do Brasil se caracterizou
como um ato de devoção a Nossa Senhora, a Santa Mãe de Deus e nossa. Caracterizou-
se também como uma necessidade urgente de não desaprender a lição de Aparecida,
pois, como nos ensina o Papa Francisco: “Sem a gramática da simplicidade, a Igreja se
priva das condições que tornam possível pescar Deus nas águas mais profundas do seu
Mistério”.
Antes de regressar a Roma, no último dia da JMJ/ Rio 2013, no Encontro com os
voluntários que serviram naquele evento da juventude, o Papa Francisco afirmou ainda:
“O meu pensamento final, minha última expressão das saudades, dirige-se a Nossa
Senhora Aparecida. Naquele amado Santuário, ajoelhei-me em prece pela humanidade
inteira e, de modo especial, por todos os brasileiros. Pedi a Maria que robusteça em
vocês a fé cristã, que é parte da nobre alma do Brasil, como também de muitos outros
países, tesouro de sua cultura, alento e força para construírem uma nova humanidade na
concórdia e na solidariedade”. (Discurso do Papa Francisco aos voluntários da XVIII
JMJ, em 28 de julho de 2013).
No ano de 2016, o nosso país estava vivenciando o Ano Nacional Mariano em
comemoração aos 300 anos da pesca da Imagem de Nossa Senhora Aparecida no Rio
Paraíba. Para engrandecer, ainda mais, o nosso Ano Mariano, no dia 3 de setembro de
2016, foi inaugurado, nos Jardins do Vaticano, um Monumento em homenagem a Nossa
Senhora Aparecida como parte das celebrações do tricentenário do evento de Aparecida.
A imagem de Aparecida que foi entronizada nos Jardins do Vaticano é uma obra
do artista sacro Cláudio Pastro. Uma réplica dessa obra está nos Jardins do Santuário
Nacional de Aparecida, além de um segundo monumento com outras características,
inaugurado na sede da CNBB em Brasília.
Naquele sábado, em que a Imagem de Nossa Senhora Aparecida foi entronizada
nos Jardins do Vaticano, para surpresa de muitos o Papa Francisco se fez presente. Sua
presença não havia sido confirmada e, por isso, sua participação revelou um gesto de
carinho e de amor pela Padroeira do Brasil e de Brasília. Em seu pronunciamento
espontâneo, com renovada emoção, o Papa nos disse: “Apraz-me que a imagem de
Nossa Senhora Aparecida esteja nos Jardins… Convido-vos a rezar a fim de que Ela
continue a proteger todo o Brasil, o povo brasileiro, neste momento triste; que proteja os
mais pobres, os descartados, os idosos abandonados, os meninos de rua; que ampare os

descartados e os que estão nas mãos dos exploradores de todo tipo; que salve o povo
com a justiça social e com o amor de Jesus Cristo, seu Filho. Peçamos com amor por
todo o povo brasileiro, que Ela, Mãe, abençoe. Foi encontrada pelos pobres
trabalhadores: que hoje seja encontrada por todos, de modo especial por aqueles que
têm necessidade de trabalho, de educação, por quantos estão privados de dignidade”.
Essa oração do Papa Francisco, que foi realizada apenas quatro anos atrás, não
perdeu a sua atualidade, pois as dificuldades do nosso país nesse momento são ainda
maiores. Desse modo, essa oração do Papa é um convite a dobrarmos os nossos joelhos
em oração de súplica diante da nossa Mãe intercessora, a Senhora da Conceição
Aparecida, a fim de que Ela obtenha para o povo brasileiro a esperança de dias
melhores.
Um devoto de Nossa Senhora Aparecida, um romeiro de Nossa Senhora
Aparecida: creio que esses títulos podem também ser aplicados ao Santo Padre, o Papa
Francisco, pois, assim como nós, ele possui a consciência de que ser brasileiro é, de
alguma forma, se reconhecer necessitado da proteção e intercessão da nossa amada
Padroeira.
Nós, povo brasileiro, que tanto amamos o Papa Francisco, sentimos um certo
orgulho por percebermos que Nossa Senhora Aparecida tem um lugar especial no
coração do Papa e, por isso, como sinal de nossa fé e devoção mariana e como
expressão de nossa união com o Sumo Pontífice, sempre que estivermos no Santuário
de Aparecida, na Catedral de Brasília ou em uma Paróquia dedicada à Virgem Maria,
peçamos à nossa Padroeira que nos ajude a professar que Aparecida é importante para a
igreja do Brasil e da América Latina e, no silêncio do coração, em oração, supliquemos
à nossa amada padroeira que cubra com seu manto a vida e o pontificado do nosso
amado Papa Francisco. Nossa Senhora da Conceição Aparecida, abençoai o Santo
Padre, o Papa, e todos nós. Assim seja. Amém!

Aloísio Parreiras

2020-07-04T14:42:40-03:0004/07/2020|