Paróquia Santa Clara celebra a festa litúrgica de sua padroeira

Hoje, 11/8, dia de Santa Clara, a comunidade do Jardim Botânico -DF celebra missa solene em honra a sua padroeira, seguindo todas as medidas de segurança para conter o contágio da COVID-19, na paróquia Santa Clara e São Francisco de Assis logo mais, às 19h30.

Informações : https://www.facebook.com/paroquiascsf

 

 

SANTA CLARA DE ASSIS

 

“Nunca perca de vista o seu ponto de partida”

 

Hoje celebramos a memória de uma das santas mais populares da Igreja Católica, a grande companheira de São Francisco: Santa Clara de Assis.

Clara (Chiara), nasceu em 1914, em Assis, Itália. Sua família era rica e abastada, seu pai era um conde. Clara nasceu numa família de nobres e vivia em um belo palácio na cidade, além de possuírem muitas outras propriedades.

Clara tinha dois irmãos e duas irmãs, que mais tarde se tornariam religiosas, junto com sua mãe, depois que ficou viúva.

Nossa Santa, desde pequenina demostrava vocação à vida religiosa, praticava inúmeras caridades para com os mais pobres. Ouvindo falar de Francisco, com apenas 18 anos ela foge de casa para encontrá-lo na Porciúncula, onde faria os seus primeiros votos religiosos. O próprio São Francisco cortou os seus cabelos.

Conta-se que Francisco o acolheu depois de que os arbustos do caminho por eles passavam ficaram floridos, como sinal pedido por Francisco.

Depois de emitir os votos, Clara precisou morar no Mosteiro das Beneditinas, pois não era permitida vida religiosa feminina fora de um mosteiro, na clausura.

Um episódio marcante foi a tentativa de sua família de levá-la de volta para casa. Os seus familiares invadiram o mosteiro para arrastá-la consigo, mas ela lhes mostrou os cabelos cortados como sinal de consagração e eles desistiram. Em seguida, também sua irmã de 15 anos, fugiu para o convento.

Alguns dos milagres atribuídos a Santa Clara aconteceram quando a região de Assis foi invadida por mulçumanos. O povo começou a passar necessidades. Também as irmãs, que nessa altura já eram mais de 50 não tinham o que comer. Havia somente um pão. Clara, então, diz a irmã cozinheira que divida o pão em 50 pedaços e confie em Deus. Assim ela fez. De repente, dezenas de pães começaram a aparecer e elas comeram por vários dias. Este é o motivo pelo qual em algumas de suas imagens, ela é representada com um cesto de pães.

Outras imagens, talvez as mais conhecidas, retratam o milagre que aconteceu quando os Sarracenos invadiram Assis e tentaram violar o convento das clarissas.

Santa Clara pegou o ostensório com o Santíssimo Sacramento e repreendeu os invasores, dizendo-lhes que Cristo era mais forte que todos eles. Apavorados, misteriosamente, fugiram todos. Por isso ela também é representada com seu hábito segurando um ostensório.

Ela também foi proclamada padroeira da televisão, porque, por uma graça de Deus, conseguiu a assistir, do convento onde estava enferma, uma Missa que acontecia em outra Igreja.

Clara morreu em odor de santidade em 11 de agosto de 1253, com 60 anos de idade. Antes de morrer, recebeu a visita do Papa Inocêncio IV, que lhe entregou a regra escrita por ela e aprovada.

Clara foi sepultada na Igreja onde estava São Francisco, depois foi trasladada para a Basílica de Santa Clara.

Foi canonizada em 1255, dois anos após sua morte, pelo Papa Alexandre IV.

Santa Clara, rogai por nós!

 

Pe. Clovis Cavalcanti de Albuquerque Neto, IDM

2021-08-11T08:22:32-03:0011/08/2021|