Porque rezar pelas almas?

A Tradição Católica de visitar os Túmulos e Rezar

Pelos Mortos no Dia de Finados 

Dois de Novembro é tradicionalmente o dia dedicado para visitar os túmulos dos entes amados que já voltaram para a “Casa do Pai”, levar flores e fazer preces e orações. Este costume vem desde o século XIII, mas, mesmo antes da Igreja fixar um dia de Homenagem aos mortos os cristãos já tinham reservavam um dia específico para essas intenções.

Porque rezar pelas almas? Em primeiro lugar porque são práticas de devoção e caridade. Interceder pelas almas do purgatório faz parte das Obras de Misericórdia, conforme define o Catecismo da Igreja Católica (2447): As obras de misericórdia são as ações caritativas pelas quais socorremos o próximo em suas necessidades corporais e espirituais.

Segundo por acreditar na existência do purgatório, “Os que morrem na graça e na amizade de Deus, mas não estão completamente purificados, embora tenham garantida a sua salvação eterna, passam, após sua morte, passam por uma purificação, a fim de obterem a santidade necessária para entrarem na igreja do céu. … A Igreja denomina Purgatório a esta purificação final dos eleitos… (Catecismo da Igreja Católica, 1030-1031).

Por fim não podemos deixar de falar do conforto que traz aos corações dos familiares. Para Katia Souza, moradora de Taguatinga, visitar o cemitério dia de finados, é uma tradição na família desde que era criança. Iam juntos às sepulturas dos avós e tios. Não é que a gente esquece das pessoas que perdemos, diz Katia, mas é o dia que as orações se unem por todas as almas do purgatório.  No entanto de uns anos para cá, com o fato do cemitério ficar muito cheio nesse dia, a família passou a fazer as visitas aos túmulos do pai e do irmão, no Campo da Esperança do Plano Piloto, na semana que antecede o feriado.

Kátia ainda relata que a mãe e os irmãos já foram e que irá após o dia dois, ela ressalta que todos os anos no dia do falecimento dos entes queridos coloca a missa em intenção de suas almas. E o Dia de Finados carrega um sentimento especial pois, além de pedir pelo seu, também faz orações por todas as almas, mesmo sem conhecer, pois, as orações alcançam muitas almas que precisam. É um dia mais introspectivo, pensamos nas pessoas que com saudades e aperto no coração, mas o fato de nos reunirmos para rezar os mantém vivos em nossas memorias.

O Diácono Marcos Mascarenhas, da Paróquia Cristo Redentor de Taguatinga Norte nos lembra que o Dia Primeiro de Novembro é dedicado a Todos os santos e fala sobre a tradição de Finados, confira abaixo:

“É uma tradição bonita porque é o que demonstra que a Igreja de Cristo é única, é o  dia em que nós podemos meditar mais sobre os aspectos da Igreja que é peregrina, a igreja que é purgativa, no sentido de ser uma Igreja que se prepara para a eternidade, e uma Igreja triunfante, aqueles que já estão na Glória. É o dia que todo o povo de Deus se une nessa oração, ou seja, pela Igreja peregrina, pela Igreja suplicante, aquela que suplica estar o mais rápido possível na presença de Deus e a igreja triunfante, aqueles cuja almas já estão na Glória. É nesse sentido então que celebramos o Dia de Finados”.

Outra coisa interessante também, continua Diácono Marcos, “o cemitério é uma tradição de cristão católicos. Chamados Campos Santos, é uma tradição católica. Os cristãos enterravam seus irmãos, seus entes queridos em lugares assim chamados campos santos, após então as catacumbas. Temos então, a ideia de cemitério como conhecemos hoje trazidas pelos primeiros cristãos.

Importante ressaltar ainda, que todos aqueles que buscam rezar nesse dia, nos cemitérios ou nas missas, pelos fiéis defuntos, estando em estado perfeito de graça, logram indulgências para aqueles que estão no purgatório. Os que participam da oração da igreja, da missa, comungam na intenção do Papa, rezam o Pai Nosso e as Ave Marias próprias desse dia. Então a essas pessoas são concedidas indulgências até oito dias após o Dia de finados”.

No Brasil, além de ir ao cemitério visitar, enfeitar os túmulos e acender velas, há uma programação especial com vários horários para as celebrações da Santa Missa. Este ano por conta da pandemia, as missas serão nas paróquias que seguindo orientações da Arquidiocese procurando manter os mesmos horários das missas de domingo. Da mesma forma houve algumas alterações para alcançar a indulgência plenária aos os fiéis defuntos, isso para garantir que os fiéis possam cumprir suas devoções de forma segura.

Como as almas do purgatório nada podem fazer por si mesmas, cabe a nós cristãos rezar por elas, fazer orações em sufrágio, especialmente por aquelas mais esquecidas que ninguém se lembra. Elas sofrem por estar longe de Deus, pois nossa alma tem sede e almeja alcançar o céu. Conforme diz Santo Agostinho (Hom.,XVI), “Uma das obras mais santas, um dos melhores exercícios de piedade que podemos praticar neste mundo, é oferecer sacrifícios, esmolas e orações pelos defuntos”.

 

 

Cleides Batista – Escritora para a Pascom Brasília
2020-10-30T14:43:21-03:0030/10/2020|