Primeiro dia do 12º Mutirão de Comunicação

A 12ª Edição do Mutirão de Comunicação teve início na tarde desta sexta-feira com a abertura das salas na plataforma do ZOOM, às 16h40. O evento é promovido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB),  Pascom Brasil, Signis Brasil e Rede Católica de Rádios.

A abertura da transmissão, foi marcada por um momento de oração no Centro de Espiritualidade da PUC Migas. As intenções foram dedicadas às vítimas do COVID-19 e aos povos originários da querida Amazônia.

Já no palco central, os anfitriões  Manuela Castro,  assessora de Comunicação da CNBB, e o presidente da Signis Brasil, Alessandro Gomes, reforçam que esta 12ª edição entra para a história com os seus mais de 5 mil participantes.

Por volta das 17h30, o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e arcebispo de Belo Horizonte (MG), Dom Walmor, leu uma mensagem enviada especialmente ao encontro pelo Papa Francisco.

“Os cristãos são chamados a ser um sinal de esperança e solidariedade na sociedade brasileira tão atingida pela atual pandemia (…). Ser sinal de esperança significa em primeiro lugar ser instrumento de reconciliação e unidade, missão da Igreja no Brasil”, diz um trecho da mensagem.”

 

 

 

Na sequência, a palestra magna foi conduzida pelo doutor Massimo di Felice, da Escola de Comunicação e Artes (ECA) – USP com o tema “Por uma comunicação integral: o humano nos novos ecossistemas”.  Ele abordou quatro aspectos em sua análise: o protagonismo dos não humanos e o fim de um ‘tipo de mundo’  conhecido atualmente; a evolução da conectividade e a crise da ideia ocidental de sociedade; data ecology: os ecossistemas digitais;  a comunicação biosférica e o comunitarismo danificado.

O professor chamou a atenção para  a comunicação está sendo feita imitando o processo industrial para a massa. A comunicação integral precisa construir relações verdadeira e gerar interações.

 

Após a apresentação cultural, às 19h15 iniciou a I Conferência com o tema “Comunicação para a paz em tempos de Fake News e ultraconservadorismo”, com a professora e doutora Magali Cunha que trouxe reflexões da presença da igreja na era digital.

 

“Igrejas e grupos cristãos perceberam que as mídias podem não apenas apresentar o Evangelho e dar visibilidade, mas podem articular, promover socialidade, firmar comunidade.”

 

O encerramento do primeiro dia de Mutirão foi com apresentação cultural e lançamentos. Por volta das 22h15, a benção final direto do Centro de Espiritualidade.

 

Veja como foi a abertura do Mutirão de Comunicação 2021:

 

Confira a programação deste sábado, 24 de julho:

8h30: Abertura da sala
8h45: Espiritualidade
9h: Conferência 2 – Era do onlife: real e virtual se (com)fundem. Também na Igreja? (Prof. Dr. Moisés Sbardelotto)
9h45: Apresentação cultural
10h: Conferência 3 – Retomar as rédeas do mundo: o humano-cristão nos novos ecossistemas à luz da Fratelli Tutti (Prof. Dr. Norval Baitello Júnior | PUC-SP)
10h45: Reflexões e Diálogos
11h15: Mesa Redonda – Ecologia das mídias e nas mídias católicas (Prof. Dra. Adriana Braga | PUC-Rio e Prof. Dr. Jorge Miklos | UNIP)
12h: Intervalo
13h30: Conferência 4 – Comunicação para o bem viver em tempo de máxima desigualdade (Prof. Dra. Viviane Mosé)
14h15: Apresentação cultural
14h30: Conferência 5 – Utopias do mundo integral (Prof. Dr. Carlos Ferraro | Presidente de Signis ALC – Argentina)
15h15: Reflexões e Diálogos
16h: Intervalo
16h10: Conferência 6 – Comunicação integral: influenciadores ou influenciados? (Prof. Dra. Elizabeth Saad | ECA – USP)
17h: Show
18h: Missa transmitida pelas TVs e rádios católicas

2021-07-24T09:10:33-03:0023/07/2021|