Processo de Canonização da Beata Madre Clélia Merloni

A Congregação fundada pela Beata Madre Clélia Merloni está às portas de mais um Capítulo Geral. Para a ocasião, o Santo Padre enviou uma mensagem à congregação com mais de 100 anos de existência: “as feridas mais dolorosas podem ser curadas se imersas no poço da Misericórdia infinita que é o Coração de Jesus”.

O Instituto fundado em 30 de maio de 1894 em Viareggio, Lucca-Itália, pela Beata Clélia Merloni. A Congregação que está presente em 15 países vive a contemplação do Coração de Cristo, fonte do amor. As apóstolas são enviadas a evangelizar com a palavra e a vida, revelando o amor misericordioso de Deus.

A partir do dia 04 de julho 2022, o governo da obra e outras freiras eleitas participarão do XVIII Capítulo Geral.

Mensagem do Papa Francisco

Por ocasião do Capítulo, o Santo Padre enviou uma mensagem à Congregação. Segundo a superiora, “o Papa Francisco nos estimula dizendo que: “somos especializadas em confiar a Deus as feridas e os espinhos da humanidade e da Igreja”, acrescentando: “as feridas mais dolorosas podem ser curadas se imersas no poço de Misericórdia infinita que é o Coração de Jesus”.

As palavras do Santo Padre impulsionam-nos a refletir sobre o como estamos vivendo a dimensão da reparação que é própria da espiritualidade do Coração de Jesus e do nosso Carisma e que Madre Clélia viveu profundamente na sua vida de Apóstola. A partir desta reflexão é preciso dar um passo a mais “confiando ilimitadamente no Coração de Jesus” como a Beata nos ensinou.”

Ao refletir sobre os ensinamentos do pontificado do Papa Francisco, em especial para as Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus, disse: “O magistério de  Papa Francisco é um dom para Igreja e muito importante para nós Apóstolas, pois nos faz entrar em profundidade na dimensão da reparação, destaco de modo particular a sua exortação Evagelii Gaudium que de forma clara nos fala dos vários tipos de pobrezas da humanidade; A encíclica Laudato sì, que nos chama a reparar o mal causado ao meio ambiente.

E pôr fim a sua Bula do Jubileu da Misericórdia que nos fez refletir, sobre a misericórdia do Coração de Cristo pois como Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus, nos ensina que a “misericórdia é a forma que Deus escolheu para manifestar a Sua onipotência” (cfr. nr. 6).

A fundadora da Congregação, Beata Clélia Merloni, está em processo de canonização. No dia de sua beatificação, o Papa Francisco referiu-se à Madre Clélia como aquela que transmitiu um “luminoso testemunho do Evangelho” ao mundo.

 

Processo de Canonização

Sobre o processo de canonização e o grande legado da Beata, a madre geral explicou:

“O processo de canonização está em um bom ponto. No mês de setembro será estabelecido no Tribunal ordinário do Vicariato de Roma a disposição dos testemunhos sobre um suposto milagre que aconteceu na Itália por intercessão da Beata Clélia Merloni.

Após ouvidas as testemunhas do suposto milagre da parte do Tribunal ordinário do Vicariato de Roma, o material segue para a causa dos santos onde será analisado por três equipes: médicos peritos; teólogos e cardeais. Se nas três sessões o suposto milagre for reconhecido como tal, Papa Francisco assina o Decreto para a canonização da Beata Clélia Merloni, para o louvor e glória do Coração de Jesus, única meta da sua vida!

Creio que a mensagem de madre Clélia para a sociedade moderna é precisamente o perdão, pois cada vez mais se torna difícil perdoar. Para a Madre Clélia o perdão implica a humildade, e sem essa é muito difícil entender a dinâmica de dar e receber o perdão. É necessário revestir-se da humildade do Coração de Jesus e perdoar sempre, este é um valor profundamente evangélico.

Uma virtude importante usada por madre Clélia e que gostaria de ressaltar é a da “ternura”. A madre nas regras manuscritas pede para as Apóstolas anunciarem a ternura do Coração de Jesus, em outra página nos diz de levar a todos um raio da ternura do Coração de Jesus.

Papa Francisco na Exortação Apostólica Evangelii Gaudium fala por onze vezes da ternura e nos convida fazer uma “revolução da ternura” e na Bula Misericordiae Vultus, 21, usa a expressão “a ternura do perdão”. Na Carta Encíclica Fratelli tutti Papa Francisco n° 194 faz uma definição da ternura: «Em que consiste a ternura? No amor, que se torna próximo e concreto. É um movimento que brota do coração e chega aos olhos, aos ouvidos e às mãos. (…) A ternura é o caminho que percorreram os homens e as mulheres mais corajosos e fortes».

Na verdade, o perdão e a ternura são formas de amar e o amor não envelhece, é sempre atual.”

 

 

Vatican News