REPAM-Brasil lança Campanha #EuVotoPelaAmazonia

A Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM-Brasil), Organismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), lança nesta quinta, 05 de maio, a Campanha #EuVotoPelaAmazonia, com o objetivo de ajudar os cristãos e a sociedade em geral a refletir sobre a importância de eleger políticos e governos comprometidos com a Ecologia Integral, a agroecologia, a justiça socioambiental, o bem-viver e os direitos dos povos e de seus territórios.

A Campanha que ocorrerá nos meses de maio a setembro de 2022, desenvolverá várias ações de conscientização como rodas de conversa sobre a Amazônia e eleições, reflexões, vídeos, materiais para redes sociais e roteiro de celebrações para as comunidades de dentro e de fora da Amazônia. Está previsto, também, uma Celebração Eucarística no Dia da Amazônia, comemorado em 5 de setembro.

Nos últimos anos, o bioma amazônico foi explorado violentamente com queimadas, desmatamentos, invasão de terras indígenas e o avanço do agronegócio e da mineração sobre territórios protegidos. Mesmo reconhecendo que outros biomas também estão ameaçados, a Amazônia tem significado crucial para o enfrentamento das mudanças climáticas e será o foco da Campanha “EuVotoPelaAmazonia”.

As eleições e sua relação com a Amazônia e o cuidado com a Casa Comum

De acordo com o Arcebispo de Porto Velho e Secretário da REPAM, Dom Roque Paloschi, as eleições são um espaço fundamental para o exercício da cidadania e o momento durante o qual podemos decidir os rumos de nossa história e salvaguardar a democracia. “Para isso, é importante uma educação integral de todos nós, povo brasileiro. Educação que ajude a fazer escolhas conscientes e pelo bem da coletividade.

Ainda segundo Dom Roque, nestas eleições, é importante que prestemos atenção nas propostas que os partidos e candidatos fazem em relação à Amazônia. “Todos sabemos da importância fundamental do bioma amazônico e a sua sociodiversidade para o equilíbrio do clima e a garantia da possibilidade de vida para as gerações futuras”, enfatizou.

Nesse vasto território vivem mais de 180 povos indígenas, além de muitos grupos isolados.  O agronegócio, o garimpo, a extração ilegal de madeira, os grandes projetos econômicos são alguns dos fatores que contribuem para o desmatamento e o empobrecimento dos recursos naturais e dos povos que habitam a Amazônia.

“A Amazônia está sendo destruída e devastada por interesses econômicos, que provoca uma exploração desmedida dos recursos naturais, extraindo toda a possibilidade de vida, isso tudo em nome de um desenvolvimento tecnocrata, como nos fala a Laudato Si, colocando em risco a vida de todos os seres”, completa Dom Roque.

A Diretora Executiva da REPAM-Brasil, Irmã Maria Irene Lopes, falou sobre as perspectivas deste evento a partir do clamor da Amazônia que brota das florestas e de suas cidades. “A ideia é fazer com esta Campanha, desde seu lançamento, seja um momento forte de reflexão e debate sobre o impacto que o resultado das urnas poderá trazer, negativa ou positivamente para a Amazônia e para todos nós, uma vez que tudo está interligado”, afirma a religiosa.

 

Abaixo, veja o vídeo de divulgação da campanha:

 

Com informações REPAM-Brasil