Santo do dia – São João Batista Maria Vianney , padroeiro dos párocos e exemplo de vida sacerdotal

São João Batista Maria Vianney, é celebrado no dia 4 de agosto, onde comemoramos em toda a Igreja, o dia do Padre, onde convida a todos os Sacerdotes a se doarem a exemplo de Cristo, para juntos vivemos a Misericórdia e Caridade esponsal. A missão Sacerdotal por excelência é levar a Eucaristia ao povo, concedendo a cada pessoa a cura de sua alma.

Santo Cura D’ars, não teve em sua vida mordomias, ou até mesmo regalias, sofreu em toda a sua vida, mas nunca desanimou ou esmoreceu em sua vida, assim, somos chamados a viver primeiramente o mistério do sofrimento, para depois colhermos os frutos. Sua vida se demonstra com imensa simplicidade, onde era camponês de pouco estudo, desta maneira sofrendo preconceitos e constantemente era desestimulado a continuar a caminhar para alcançar seus objetivos.

Quando entrou para o seminário tinha muita dificuldade nos estudos, onde os padres, não compreendiam a dificuldade que ele tinha, mas nunca duvidaram de sua vocação ou de seu chamado, demonstrando que Deus chama, mas capacita de acordo com a missão que lhe é confiada. Diante de toda a dificuldade encontrada nos estudos, os formadores dele no seminário, não encontravam a maneira eficaz de exercer seu ministério, por isso, afirmavam que após a sua ordenação Presbiteral, não poderia atender o Sacramento da confissão, porque não teria condições de guiar o povo e nem de aconselhar ou orientar nas confissões.

Maria Vianney, não desanimou e nem se abateu, por isso perseverou diante das dificuldades, mostrando grande ímpeto em sua vida espiritual, continuou batalhando em sua vida para aprender e desenvolver-se nos estudos. Até quando, mostrou-se capaz de exercer todos os ofícios de seu ministério, assim, foi lhe concedido uma pequena Igreja, na cidade de Ars, mas chegando em seu destino, percebeu que esta cidade se havia entregado aos prazeres mundanos e coisas supérfluas, e dizia “tenho medo de me perder neste lugar”.

São Joao Maria Vianney, nesta cidade percebeu que foi enviado para ajudar esse povo em sua conversão, por isso começou a ensinar a perseverança nos caminhos do Senhor. Por isso, se debruçou por várias horas, todos os dias, a atender as confissões, se alimentando apenas de pão, batata e água. Dessa maneira, viveu sua vida em total doação por este povo, durante 40 anos, vivendo até os 73 anos, transformando este povo, antes entregue ao pecado, a um povo convertido e temente a Deus.

Por fim, a vida desse santo, nos mostra que o sacramento da Confissão é para nos aproximar do amor de Deus, e fazer assim, com que a nossa vida seja conduzida para ser mais próximo Deus. Portanto, os Sacerdotes são extremamente convidados a deixar-se se conduzidos pelo Espirito Santo, a se doarem incansavelmente para a cura de almas de seus fiéis. (Paróquia Nossa Senhora do Lago)

2020-08-04T10:29:43-03:0004/08/2020|