SÃO MATEUS

São Mateus, apóstolo e evangelista, chamava-se Levi antes de sua conversão, e exercia o ofício de publicano, ou de cobrador de impostos, mas quando ele ouviu o convite de Cristo, largou tudo: a banca, a vida ligada ao dinheiro e os apegos deste mundo, pois descobrira sua vocação.

O seu nome Mateus significa “dom de Deus”. Ele nasceu em Cafarnaum e era filho de Alfeu. Mateus é identificado pelo historiador Eusébio de Cesareia como o autor do primeiro evangelho sinótico. Ele aparece na lista dos doze Apóstolos, no sétimo lugar, nos Evangelhos de Marcos e Lucas. Ele é identificado como sendo o homem sentado no banco dos impostos, que Cristo chamou ao seu seguimento: “Partindo dali, Jesus viu um homem chamado Mateus sentado na coletoria de impostos e disse-lhe: ‘Segue-me!’ Ele levantou-se e seguiu-o”. (Mt 9,9).

Mateus, antes de sua conversão, era um homem de negócios e de dinheiro, um burocrata, um financista. Contudo, mal Cristo o chamou, ele se levantou, abandonou tudo e seguiu-O, testemunhando publicamente sua gratidão para com o nosso Redentor. Naquele dia, ele compreendeu que a salvação estava entrando em sua casa e em sua vida e, por isso, ele abandonou o rendoso negócio da cobrança de impostos, mudou de nome e de atitude, colocando-se disponível para o serviço da alegria do Evangelho.

Para celebrar a sua conversão, ou já exercendo a missão de conduzir almas para Cristo, ele preparou um grande banquete em sua casa e convidou uma numerosa multidão de publicanos e outros tantos condenados aos olhos do povo, que se sentaram à mesa com ele.  Naquela ceia, os fariseus censuravam ao Cristo por se sentar à mesa com os pecadores. Não obstante, Jesus os repreendeu, dizendo: “Aqueles que têm saúde não precisam de médico, mas sim os doentes. Aprendei, pois, o que significa: Quero misericórdia e não sacrifício. De fato, Eu não vim para chamar os justos, mas os pecadores”. (Mt 9, 12-13). Com essas palavras, Jesus evidenciou que todos os pecadores são chamados à conversão e à vida nova.

Mateus escreveu o primeiro Evangelho, guiado pelo carisma extraordinário da inspiração, entre os anos 80 e 90 do primeiro século da era cristã, em aramaico, língua falada no meio palestinense. Ele reuniu as provas de que Cristo é o verdadeiro Messias. Escrevendo para os judeus cristãos, insiste no messianismo de Cristo e na realização perfeita das profecias do Antigo Testamento. Seu evangelho começa pela genealogia humana de Jesus Cristo e nos traz trechos referentes ao uso do dinheiro, tais como: “Não ajunteis para vós tesouros na terra, onde a traça e o caruncho os destroem”. E ainda: “Não podeis servir a Deus e ao dinheiro.

Nós não temos mais o Evangelho escrito por Mateus em hebraico ou aramaico, mas temos o Evangelho escrito em grego e, por isso, nós continuamos a ouvir, de alguma forma, a voz persuasiva do publicano Mateus que, tendo se tornado Apóstolo, continua a anunciar-nos os sinais da misericórdia divina.

Segundo algumas fontes legendárias apócrifas, Mateus evangelizou várias regiões dos Partos, da Pérsia e da Etiópia, onde operou conversões e depois sofreu o martírio, sendo decapitado. Este santo Apóstolo ficou conhecido na História da Igreja nem tanto pela sua obra missionária no Oriente, mas sim pelos relatos, em seu Evangelho, das bem-aventuranças, da oração do Pai Nosso, na íntegra, com seus sete pedidos e pelas diversas parábolas do Reino transmitidas pelo Cristo.

Contemplando com os olhos da fé a vida, a entrega e a fidelidade de Mateus ao Cristo, nós podemos nos questionar: Como respondemos ao convite que o Cristo nos faz no cotidiano da santidade? Podemos, também, professar a certeza de que ninguém pode se desesperar diante de seus pecados, pois o Cristo veio para salvar e acolher justamente os pecadores. Agindo assim, Ele nos demonstra que é o Médico divino que é capaz não apenas de curar os doentes, mas de ressuscitar os mortos.

São Mateus foi um profundo conhecedor da Lei e, por isso, ele está capacitado a nos convidar a realizar uma sólida formação contínua.  Por ter sido tocado e renovado pela misericórdia do Senhor, ele nos ensina que devemos nos livrar da idolatria do dinheiro, da posse, do poder e de tudo aquilo que nos impede no nosso seguimento ao Cristo.

Peçamos a São Mateus a graça insigne de nos levantarmos da nossa falsa acomodação nos bens terrenos, a fim de que possamos seguir a Cristo com fortaleza, coragem e determinação. São Mateus, ajudai-nos a nos aprofundar nos ensinamentos de Cristo, para que possamos vislumbrar os sinais do Reino de Deus e reforçarmos, com renovada esperança, os nossos passos na senda da justiça. São Mateus, rogai por nós!

Aloísio Parreiras

(Escritor e membro do Movimento de Emaús)

2020-09-21T10:58:15-03:0021/09/2020|