SÃO MATIAS APÓSTOLO

“Não fostes vós que me escolhestes. Fui eu que vos escolhi e vos enviei para produzirdes fruto e o vosso fruto permaneça”. (Jo 15, 16). Essa é a antífona da entrada da Festa de São Matias, o apóstolo póstumo, que foi escolhido pelo Espírito Santo para compor o colégio apostólico depois da morte de Judas Iscariotes.

São Matias foi eleito para integrar o colégio apostólico após a Ascensão de Jesus Cristo aos céus, durante aquele período de dez dias de expectativa pela vinda do Espírito Santo. Segundo Eusébio de Cesareia, Matias pertenceu ao grupo dos setenta e dois discípulos que foram enviados pelo próprio Cristo para pregar o Evangelho pelas cidades de Israel.

É no livro dos Atos dos Apóstolos que estão registrados os fatos que levaram à escolha de um discípulo que ocupasse o lugar deixado por Judas, o traidor. Naqueles dias, Pedro, na presidência dos apóstolos, afirmou: “Há homens que nos acompanharam durante todo o tempo em que o Senhor vivia no meio de nós, a começar pelo batismo de João até ao dia em que foi elevado ao céu. Agora, é preciso que um deles se junte a nós para ser testemunha da Sua ressurreição. Então eles apresentaram dois homens: José, chamado Barsabás, que tinha o apelido de Justo, e Matias. (At 1, 21-23).

Simão Pedro, antes da escolha do novo apóstolo, elencou os três requisitos para o ministério apostólico: pertencer aos que seguiam a Cristo desde o começo, ser chamado e enviado. Após uma oração, os apóstolos pediram a Deus que lhes indicasse quem deveria ocupar o lugar deixado por Judas Iscariotes e a sorte caiu em Matias. Do apóstolo Matias, temos poucas informações. Mas, temos conhecimento de que ele foi uma testemunha de toda a vida pública de Jesus, permanecendo-lhe fiel até o fim. A força desta sua fidelidade expressa-se na sua escolha para ocupar o grupo dos Doze apóstolos. Podemos tirar desse acontecimento uma importante lição: mesmo que existam na Igreja cristãos traidores e indignos, compete a cada um de nós, individual e comunitariamente, testemunhar a beleza do Evangelho por meio da obediência da fé.

Pouco dias depois de ser agregado ao grupo dos Doze, São Matias recebeu, em Pentecostes, a efusão do Espírito Santo, tornando-se um apóstolo ardoroso como os demais e uma testemunha credível do Cristo vivo e ressuscitado. Matias é um nome frequente entre os judeus e quer dizer “dom de Deus”. De acordo com uma antiga tradição grega, Matias pregou o Evangelho na Judeia, na Capadócia, nas costas do Mar Cáspio e, depois, na Etiópia.

São Matias Apóstolo acompanhou a vida do nosso Redentor, incluindo a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo. Por ter sido uma ousada testemunha de Jesus, São Matias sofreu o martírio, na Etiópia, por volta do ano 80.  Existem registros de que Santa Helena, mãe do imperador Constantino, o Grande, mandou trasladar as relíquias de São Matias para Roma, onde uma parte está guardada na igreja de Santa Maria Maior. A outra parte de suas relíquias se encontra na igreja de São Matias, em Tréveris, na Alemanha, cidade que a tradição diz ter sido evangelizada por ele e que o tem como seu padroeiro. Em função de seu martírio, São Matias, normalmente, é representado com um machado ou com uma alabarda, que são símbolos da força do cristianismo e do seu martírio.

Quando adentramos o terreno sagrado da vocação e da missão de São Matias Apóstolo, nós percebemos a necessidade de sermos fiéis à vocação que Deus nos confiou, pois a nossa felicidade está alicerçada no seguimento de Cristo. Peçamos ao Cristo, pela mediação de São Matias, uma fé inquebrantável, fortalecida pelos dons do Espírito Santo e manifestada em uma vida coerente com o Evangelho. Que São Matias Apóstolo e, com ele, todos os demais Apóstolos, intercedam por nós de seus tronos no céu e protejam, hoje e sempre, a Igreja que Cristo fundou sobre a Rocha, o nosso mundo e todas as nações. São Matias Apóstolo, rogai por nós!

Aloísio Parreiras
2020-05-14T16:12:17-03:0014/05/2020|