Tarde especial de celebração conclui os festejos da Padroeira da Arquidiocese

Após o grande testemunho de fé nas Celebrações que aconteceram pela manhã na Catedral Metropolitana de Brasília em honra a Nossa Senhora Aparecida neste dia 12, muitos fiéis voltaram a recorrer à Catedral para fazer suas orações, pagar suas promessas, fazer seus pedidos, no período da tarde.

Às 15 horas iniciou-se a terceira Missa do dia presidida por Dom José Aparecido, bispo auxiliar de Brasília. Ao refletir sobre a liturgia do dia, Dom José destacou no início de sua homilia, a forma como o escritor Ariano Suassuna apresenta Nossa Senhora Aparecida em sua obra “O Auto da Compadecida”. Uma mulher que alcança de seu Filho a misericórdia pelos pequenos que precisam. Ela se aproxima de todos os homens e mulheres, de todas as raças e línguas, através dos seus muitíssimos títulos, numa familiaridade tamanha que todos os que abraçam a fé tem nela, de fato, uma advogada, uma intercessora fidelíssima.

Dom José ainda destacou, de forma profética, que hoje o mundo se perdeu em individualismo que faz entrar na vida das pessoas inúmeros pecados que tornam o homem e a mulher cada vez mais distantes de Deus. Esse distanciamento só causa mal, gera discórdia, desregramento da vida e muitos outros males tanto temporais como espirituais. A solução para que se volte a semelhança do paraíso é a imitação das ações, das virtudes e exemplo da Santíssima Virgem que, na proximidade com o gênero humano, mostra que é possível o caminho da santidade.

Ao terminar sua reflexão, o bispo auxiliar de Brasília fez uma prece especial à Nossa Senhora Aparecida pela Pátria, pelo Distrito Federal e, de forma muito especial, pelas crianças desvalidas, aquelas que mais tem sofrido nos tempos que, por vezes, parecem sombrios

O dia de Festa foi encerrado com a Santa Missa presidida por Dom Marcony Vinícius, bispo auxiliar de Brasília, às 18h. Com o conhecimento advindo dos muitos anos de organização do evento de Nossa Senhora Aparecida na Arquidiocese, ao se preparar para a Celebração, o bispo afirmou que viver este momento neste ano estava sendo diferente: “Por conta dos protocolos necessários para o cuidado com a saúde diante da pandemia que estamos vivendo, ainda não é possível realizar a grande festa na Esplanada dos Ministérios. Entretanto, graças a Deus, o povo pode matar um pouco da saudade de celebrar a Mãezinha este ano aqui na Catedral e nas diversas paróquias de nossa Arquidiocese. Isso é muito bom! O povo de Deus está se cuidando e, ao mesmo tempo, sente a necessidade de honrar a Mãe de Deus e nossa, como cantamos tão alegremente nas Missas.”

Esta última Missa, da mesma forma que as outras três que aconteceram durante o dia, contou com grande número de fiéis que buscaram a Catedral para homenagear a Virgem de Aparecida.

Durante a homilia, Dom Marcony afirmou a importância de se ver a figura de Nossa Senhora na história da Salvação, como por exemplo, na imagem da Rainha Ester e sua gratuidade de não pedir nada para si, mas para seu povo. Da mesma forma, a mulher apresentada na segunda leitura do livro do Apocalipse, mais uma vez a virtude da humilde é pulsante, ela não se coloca no centro, mas aponta para o filho.

Dando relevância ao papel da mãe, o bispo auxiliar lembrou que todos tem na figura materna a segurança, o exemplo, o lugar onde recorrer em dificuldades e em Nossa Senhora essas características tornam-se universais, tendo em vista que ela é Mãe de todos.

Ao final da reflexão, o celebrante fez memória da chegada da Imagem à Brasília ressaltando que o então presidente da época da construção da cidade, Juscelino Kubitschek, pediu que a Nova Capital só começasse a ser construída após a benção de Deus através da celebração da Eucaristia e a chegada da Imagem de Nossa Senhora que havia percorrido o país e chegou nas mãos do Cardeal Dom Carmelo Vasconcelos, Arcebispo de São Paulo na época.

Fazendo um gesto de cuidado com os que não puderam estar na Catedral e lembrando da procissão que acontecia na festa na Esplanada, Dom Marcony levou a Imagem da Virgem Aparecida para a praça diante da Catedral e abençoou as famílias, os representantes governamentais e os doentes. Além disso, no final da Santa Missa, como costumeiramente acontece todos os anos, o bispo chamou as crianças para perto do Altar para receberem as orações no dia em que também é celebrada homenagem a elas: “Vocês são as mais amadas de Jesus e de Maria, lembrem-se sempre de pedir pelo papai, pela mamãe e por todos os que vocês amam para que Nossa Senhora e Jesus cuidem.”, convidou Dom Marcony.

2021-10-13T14:13:41-03:0013/10/2021|