UMA PALAVRA AOS MEUS AMIGOS

Meus caros amigos, deixem-me dizer-lhes hoje que, graças ao contato e à amizade que eu possuo por todos e cada um de vocês, eu aprendi que a amizade é uma expressão de amor, é um nobre sentimento que nasce de forma natural e espontânea e vai se desenvolvendo, nas diversas fases das nossas vidas, até alcançar a maturidade.

É para mim motivo de orgulho saber que, no meio de mais de seis bilhões de habitantes do nosso planeta, vocês são as pessoas com as quais eu estou aprimorando a convivência fraterna e o relacionamento mútuo. Juntos, caminhando e compartilhando as alegrias e as tristezas, as emoções e as decepções, as vitórias e as derrotas, os sucessos e os retrocessos, cada um de vocês tem me ensinado que ser amigo é ter a predisposição de cultivar a plena felicidade do outro. Ser amigo é saber oferecer um porto seguro em meio aos furacões e os vendavais! Nesse momento, relembrando tantas coisas que vivemos juntos, eu sinto a necessidade de repetir o provérbio árabe que nos diz: “Pode-se viver sem um irmão, mas não sem um amigo!”.

Ouçam, meus amigos, a voz do meu coração que hoje quer lhes dizer: Eu preciso de cada um de vocês! Eu preciso da sintonia de alma e de espírito que há entre nós! Eu preciso da sincera relação que nos faz nos reconhecer como irmãos! Eu preciso da paz profunda e da serenidade que vocês me oferecem nas provações e nos momentos difíceis da vida! Eu preciso, eu tenho a máxima necessidade de saber buscar e encontrar, em suas almas, o manancial inesgotável do pleno e fecundo amor!  Eu preciso e quero ainda continuar suplicando a vocês: “Sede todos de igual ânimo, compadecidos, fraternalmente amigos, misericordiosos, humildes, não pagando mal por mal ou injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo, pois para isto mesmo fostes chamados, a fim de receberdes bênção por herança!” (1ª Pd 3, 8-9).

Quero manifestar minha sincera gratidão por vocês me ensinarem que prescindir da presença dos amigos por causa do trabalho e de tantos outros afazeres sociais é um erro, pois nada é mais importante do que ajudar e acolher um amigo! Quero manifestar meu singelo apreço por vocês me demonstrarem que um único amigo já é uma imensa conquista; afinal, “nada é comparável a um amigo fiel!” (Eclo 6,16).

Eu preciso dizer a vocês, meus prezados amigos: Vocês são pessoas especiais em minha vida e, por isso, eu sempre arranjarei tempo para estar com vocês! Eu sempre estarei unido a cada um de vocês, pois em minhas orações, em minhas comunhões eucarísticas e em minhas ponderações e reflexões, vocês sempre estão presentes! A vida me ensinou e continua me ensinando que muitas vezes e, em muitas situações, mesmo tendo razão, por amor a cada um de vocês, há momentos em que eu sou chamado a escutar, a ponderar e a refletir sem jamais murmurar, protestar ou reclamar!  Mas, por outro lado, a vida também me ensinou que, em outros momentos e em outras situações, eu sou chamado a denunciar os seus erros, as suas limitações e suas imperfeições, não como uma mera repreensão, mas como um significativo gesto de correção fraterna e de acolhimento.

Por uma graça especialíssima de nosso Deus, eu percebo e manifesto que há entre nós uma autêntica amizade, pois, de forma concreta, única e misteriosa, nós exercitamos a união dos nossos corações e de nossas almas em um só coração e em um só espírito!          Creio que eu nunca me cansarei de expressar, mediante gestos de acolhimento e de abraços, o autêntico amor que eu sinto por vocês! Creio também que, enquanto eu possuir a capacidade de falar e de me expressar por meio de palavras, eu nunca cessarei de lhes dizer: Eu lhes quero bem!

Agora, neste exato momento, eu quero e vou terminar essa minha declaração, rogando ao Cristo, nosso primeiro e maior Amigo: Jesus, meu Amigo, ensine a mim e a todos os meus amigos a nos amarmos uns aos outros, assim como Você nos amou! Jesus, meu Amigo, não permita que eu viva um único dia sem a presença marcante e a palavra acolhedora de meus amigos! Por tudo que eles são e representam em minha formação e em minha vida, eu só posso Lhe dizer: Muito obrigado, Senhor, por todos e cada um dos amigos que Você me deu! Muito obrigado, Senhor, por me fazer compreender que na face encantadora, no sorriso irradiante, nos gestos largos e nas mãos generosas dos meus amigos, Você se faz presente!

 

Aloísio Parreiras
2020-07-21T11:43:18-03:0020/07/2020|