VAMOS A JESUS POR MARIA!

Hoje, eu quero lhes dizer um segredo e esse segredo será fundamental para a vivência cristã e para o crescimento espiritual. Escutem, caros companheiros de fé, e não se esqueçam jamais de que a Virgem Maria é nossa Medianeira perante Jesus Cristo, o nosso supremo Mediador. Quero que vocês saibam que do mesmo modo que “na ordem natural, é necessário que uma criança tenha pai e mãe, assim também, na ordem da graça, é necessário que um verdadeiro filho da Igreja tenha a Deus por Pai e Maria por Mãe”. (São Luís Maria de Montfort, “O segredo de Maria, nº 11”).

Caso vocês ainda não tenham realizado um encontro pessoal com a Santa Mãe de Deus, é chegada também para vocês a oportunidade propícia de se comprovar na ordem da fé a convicção de que Nossa Senhora continua a sustentar na santidade todos os fiéis que a Ela acorrem pedindo sua poderosa intercessão, pois, como “Medianeira materna, Maria apresenta a Cristo os nossos desejos, as nossas súplicas e transmite-nos os dons divinos, intercedendo continuamente em nosso favor”. (Papa João Paulo II, “L’Osservatore Romano, Edição portuguesa nº 39”).

É motivo de grande alegria para todos os batizados poder descobrir que nós temos uma Mãe no céu que está sempre atenta aos nossos pedidos; é motivo de júbilo para todos os missionários poder colaborar no feliz anúncio de que Maria é nossa Mãe protetora e, por isso, mesmo sabendo que podemos nos dirigir diretamente ao Cristo, cremos que, para que a nossa súplica seja purificada de qualquer imperfeição, é preferível que recorramos a Maria Santíssima que, por ser uma atenciosa Mãe, repete continuamente ao nosso Redentor: “Eles não têm mais vinho!” (Jo 2, 3). Agindo assim, intercedendo por nós, antecipando os nossos pedidos, Nossa Senhora evidencia que, todas as vezes que nós necessitamos de um vinho novo, Ela, por ser uma boa Advogada, desempenha a sua ação mediadora, pois Ela é “para nós a Mãe na ordem da graça”. (Lumen Gentium, nº 61).

Se por acaso, no decorrer da vida, enfrentarmos pandemias e terremotos, se viermos a atravessar os perigos e angústias do dia a dia, entoemos a canção que nos diz: “Se estás sem esperança em tua vida. Se te sufocam as tuas aflições. Se em tuas costas há pesados fardos que tens que carregar e já não tens força para continuar… Lembra que Ela existe com todo seu amor e pode aliviar tua dor!”

Nas angústias ou nas alegrias, Maria é uma Mãe atenciosa! Nas tentações ou na concretização da missão, Maria é uma piedosa, doce e formosa Mãe! Consequentemente, como bons filhos, temos que testemunhar aos nossos irmãos que ter Maria como Mãe é uma realidade imprescindível para as nossas vidas. Desse modo, não percamos mais tempo: hoje é o melhor dia e o melhor momento para irmos a Jesus por intermédio de Maria. Arrisquem-se na percepção dessa certeza e comprovem vocês mesmos que Nossa Senhora nos ensina que é preciso que nos coloquemos, sem reservas, nas mãos providentes de Deus, abandonando-nos à Sua suprema vontade.

Não se esqueçam de que ter uma reta e piedosa devoção pela Virgem Imaculada é um claro sinal de que o dom da piedade suscitado pelo Divino Espírito encontrou acolhida em nossas almas. Essa docilidade ao Espírito Santo nos leva a proclamar os sinais da nossa devoção por essa especialíssima Mãe, rezando, com o coração, as orações marianas de ontem e de hoje, em especial, a Ave Maria, o Ângelus, o Lembrai-vos e o Magnificat.

Eu creio que a essa altura de nossa conversa, vocês já perceberam que, assim como eu, vocês irão propagar esse feliz segredo, ou seja, vocês irão bradar aos quatro ventos a plena certeza de que cultivar a veneração pela Mãe de Deus significa, acima de tudo, afirmar e professar a divindade de Jesus Cristo. E não poderia ser diferente, pois “se procuras Maria, encontrarás necessariamente Jesus, e aprenderás, sempre com maior profundidade, o que há no Coração de Deus”. (São Josemaría Escrivá, Forja nº 661).

Momento importante de nossas vidas é o dia em que percebemos que nossas mães terrenas fazem o possível e o impossível para sermos pessoas boas, justas e honestas. Do mesmo modo, ou até de um modo mais elevado, a Virgem Santa Maria não poupa esforços para nos ajudar a percorrer o itinerário da caridade, a fim de que sejamos fortalecidos no serviço do Reino dos céus. Por conseguinte, ainda que estejamos em pecado, afastados da Igreja, com vergonha dos nossos erros e sem jeito para retornar à Casa do Pai, não podemos esquecer que o coração de uma mãe é sempre repleto de compaixão pelos filhos que erram; afinal, somente uma mãe é capaz de enxergar as luzes das virtudes e das qualidades de seus filhos onde os demais só conseguem enxergar as sombras dos erros.

Antes de concluir, vamos juntos suplicar ao Espírito Santo que, por intercessão da Santíssima Virgem, um novo Pentecostes aconteça em nossas almas e em nossas comunidades, para que os nossos dias e nossos tempos venham a testemunhar o renascer de uma fecunda e bela devoção mariana nas atitudes e no falar do Povo de Deus.

É importante que vocês não se esqueçam de que tudo o que eu lhes falei em segredo não pode e não deve permanecer em segredo; afinal, quando descobrimos a fonte da felicidade e o manancial da autêntica paz, nosso maior desejo é que, o mais rápido possível, essa descoberta seja compartilhada e anunciada a todos aqueles que fazem parte do nosso cotidiano, em especial os nossos familiares, amigos e os membros da comunidade.

Em união com os irmãos, nós temos que ir a Cristo! Quando estamos reunidos em comunidade com os irmãos, o Cristo vem a nós! Que alegria nós damos a Cristo quando Ele vem a nós e nos encontra bem ao lado de Sua inigualável Mãe! Que alegria é poder suplicar ao nosso próximo: Vá a Jesus, por Maria! Vá e permaneça junto ao Cristo!

“Que Maria Santíssima, Virgem Imaculada, arca da nova e eterna aliança, nos acompanhe neste caminho ao encontro do Senhor que vem!” (Papa Bento XVI, “Sacramentum Caritatis, nº 96”). Vem, Senhor Jesus, pois, amparados pela mediação de Nossa Senhora, aqui estamos nos preparando para o pleno encontro Contigo por meio da vivência da santidade, da correspondência à graça e pelo aprendizado da devoção mariana. Maria, “Mãe dos caminhantes, ensina-nos a caminhar. Nós somos todos viajantes, mas é difícil sempre andar! ”.

 

Aloísio Parreiras
2020-05-23T20:16:22-03:0024/05/2020|