XVI DOMINGO DO TEMPO COMUM (17/07)

Palavra do Pastor

Dom Paulo Cezar Costa

Arcebispo de Brasília

 

 

 

 

Uma só Coisa é Necessária

            Neste domingo, a Palavra de Deus coloca diante de nós a visita de Jesus à casa de Marta e Maria (Lc 10, 38 – 42). O Evangelho apresenta a atitude de duas irmãs com relação à visita de Jesus. O Evangelho dá a entender que Marta fosse a dona de casa, pois diz: “… certa mulher, chamada Marta, recebeu-o em sua casa”.  Marta quer oferecer uma hospedagem digna para Jesus. A hospedagem para o mundo bíblico é algo muito importante. Abraão recebendo os três viajantes recebeu o próprio Deus (Gn 18, 1-10).

Mas, este Evangelho quer ir além, pois enquanto Marta está preocupada com os muitos afazeres, Maria está sentada aos pés de Jesus ouvindo-o: “Maria ficou sentada aos pés do Senhor, escutando-lhe a palavra”. Jesus é apresentado como mestre, como aquele que ensina, e Maria está aos seus pés, escutando-O. É evidente que São Lucas quer afirmar o primado da escuta da Palavra de Deus.  Maria é apresentada como modelo do discípulo que, na vida do dia a dia, não se deixa afogar pelos muitos afazeres, mas sabe distinguir o que é fundamental a cada momento. Por isso, a observação de Jesus a Marta: “Marta, Marta, tu te inquietas e te agitas com muitas coisas; no entanto, pouca coisa é necessária, até mesmo uma só”.

O Evangelho não quer contrapor Marta e Maria, vida contemplativa e vida ativa. Ele quer que cada cristão, cada discípulo de Jesus Cristo seja capaz de, em cada momento, escolher a melhor parte. Ele quer que encontremos momentos na nossa vida para ouvirmos a Palavra de Deus, para estarmos com o Senhor, para exercermos a dimensão contemplativa da vida que, nas palavras de Carlo Maria Martini, é aquele momento de distanciamento da realidade, de reflexão e avaliação das coisas à luz da fé, que é muito necessário para não sermos atropelados pelos compromissos cotidianos: “é um tempo do Espírito”. Vive-se hoje numa sociedade da eficiência, do fazer, do realizar, onde o perigo está na fragmentação da vida, das mil coisas que fazemos, no qual o ser humano vai perdendo aquela unidade essencial, fundamental na vida. O encontro com a Palavra de Deus, com a leitura orante da Palavra de Deus, vai nos fazendo experimentar o amor de Deus.

O encontro orante com a Palavra de Deus nos torna homens e mulheres que buscam viver da vontade de Deus, que afirmam o primado de Deus. A vontade de Deus se manifesta mediante a escuta orante da Palavra. Ela vai realizando em nós, no hoje da história, aquilo que fez com os grandes personagens da história da Salvação: Abraão, Moisés, Isaías, Jeremias, Maria, os apóstolos etc. Ela quer continuar a formar, ainda hoje, homens e mulheres livres e operantes.

Por isso, o plano pastoral da nossa Arquidiocese coloca no centro a Palavra de Deus: “Igreja em Brasília: Casa da Palavra”. A Palavra de Deus é um lugar privilegiado de encontro com Jesus Cristo, de formação do discípulo missionário, de formação da comunidade missionária. É preciso estarmos como Maria, aos pés do mestre Jesus Cristo, ouvindo-O.